Moradores de São Cristóvão sofrem com a falta de água

0

Mulher mostra água suja que será consumida (Fotos: Portal Infonet)

Parte da comunidade do município de São Cristóvão continua sem água. Moradores de seis ruas da cidade estão sem poder praticar atividades comuns como, lavar louças, tomar banho e lavar roupas.  As atividades domésticas tornaram-se algo raro para boa parte da população devido a escassez da água. Segundo moradores, há mais de 8 meses não chega água nas torneiras.

Na rua 31 de março, por exemplo, os moradores estão sem água há mais de 8 meses. A situação por lá é grave, já que muitos estão tendo que comprar água, sem poder por falta de dinheiro, e levando para casa baldes com água de origem duvidosa. A dona de casa Edite Rodrigues reclamou da falta de água e garante que a conta chega todos os meses em sua casa. “A gente já não aguenta mais viver sem água. Há muito tempo não tomo banho de chuveiro. Lavar louça então é muito mais complicado porque tem que utilizar muita água. Estamos vivendo sem água. Você já imaginou viver sem água?”, questionou a moradora.

Já a professora Isa Araújo Cruz disse ter acionado o Ministério Público na tentativa de resolver a questão. “Já fizemos de tudo, mas o Ministério Público não pode decidir nada. Então a gente espera que as autoridades resolvam o mais rápido possível”, pede.

Água que chega à noite, porém suja

Além de conviverem com a falta da água nas torneiras, a comunidade está lidando com outro inconveniente que ocorre especialmente nas primeiras horas após o curto retorno do abastecimento em algumas casas: a qualidade da água, que em momentos mais extremos parece lama, e quando ameniza a coloração lembra gasolina.
A situação foi denunciada pelos moradores, que detectam o problema nos poucos momentos em que há água nos canos. “Assim tem sido a nossa realidade. A gente já não tem o abastecimento e nos poucos momentos que chega, ela vem suja e barrenta, sem condições de uso”, reclamou Isa.

SAAE

A cidade é abastecida pela Estação de Tratamento do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Cristóvão (SAAE). O diretor da SAAE, José Augustinho Santos, atribui o problema da falta de água à baixa vazão da barragem. “O problema é com a barragem, pois a vazão está pouca e nós estamos em fase de começar a construção do banho morno, que é um minante que nós vamos injetar na rede para dar reforço na nossa captação. O que está intervindo para o início das obras é a construção do hospital que está avaliando o projeto de construção da tubulação que passa pelo lado do hospital. Já enviamos o projeto para, direção do hospital, mas ainda não obtivemos resposta”, disse.

Mulher carrega balde com água

Augustinho explica ainda, que as taxas vão continuar sendo cobradas, uma vez que o índice de inadimplência aumentou. “A inadimplência é muito alta. Sugerimos aos moradores das ruas que não estão recebendo água, que suspenderíamos as cobranças até encontrarmos uma solução, mas o que queremos mesmo é resolver o problema”, concluiu, ao ressaltar que o material está comprado para dar início às obras.

Por Eliene Andrade

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais