Moradores do loteamento Marivan têm 45 dias para desocupar imóveis

0
Segundo a justificativa da notificação encaminhada aos moradores, os imóveis foram construídos ilegalmente, prejudicando a administração municipal de concluir uma obra de urbanização nas redondezas (Foto: Daniele Oliveira/moradora)

Cerca de 44 moradores do loteamento Marivan, localizado no bairro Santa Maria, foram notificados pela Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb) para que no prazo de 45 dias desocupem os imóveis construídos na Avenida “C”, entre as pistas 1 e 2. Segundo à notificação, as casas foram construídas ilegalmente em vias públicas. Os moradores, contudo, protestam a decisão e enxergam a decisão da Emurb como injusta.

“Eu comprei a casa que moro há três anos, mas tem pessoas que moram aqui há 17 anos”, destacou Daniela Oliveira, moradora do loteamento. Ela diz que não existe diálogo com a empresa municipal. “Eles constantemente mandam a gente ir na sede da Emurb levando uns documentos e não explicam o porquê”, lamenta. “Todo dia tem um carro de som dizendo para a gente ir lá. Já virou algo angustiante”, desabafa.

A Emurb alega que as casas estão atrapalhando o desempenho de uma obra de urbanização (Foto: Daniele Oliveira/ moradora)

Segundo a justificativa da notificação encaminhada aos moradores, os imóveis foram construídos ilegalmente, prejudicando a administração municipal de concluir uma obra de urbanização nas redondezas. “Eu acho que eles não sabem nem quem somos. Porque tem casas que pagam IPTU e tem escritura. A minha casa mesmo eu comprei por R$ 55 mil a uma construtora”, salienta. Apesar de está com a “documentação em dia”, Daniele diz que não sabe o que fazer. “Eu tenho uma mãe já idosa e duas filhas para criar. Não tenho para onde ir. E corro o risco de perder até o emprego saindo todo dia do serviço para resolver essas coisas”, lamenta.

A amiga de Daniela, Sheila Santos, diz que essa angústia se reflete também em outras famílias. “Aqui está todo mundo sem saber o que fazer. São pessoas que não têm condições de ir morar em outro lugar”, afirma. Ainda segundo Sheila, a demolição das casas será algo bem triste. “Algumas máquinas já estão por aqui. Muitas pessoas vão ficar desabrigadas”, pontua.

Emurb

A Emurb informou, através de nota, confirmou que notificou os proprietários de imóveis que estão ocupando a via pública de forma irregular, dando um prazo de 45 dias para que eles façam o recuo das suas construções que avançam na avenida ou retirem as construções indevidas no meio da pista. “Essa medida é necessária para o andamento das obras no local, que tem prazo previsto de conclusão no mês de julho. Eles estão sendo convocados para comparecer à Emurb para receber todas as orientações”, destaca.

Ainda segundo a empresa municipal, a Prefeitura de Aracaju está realizando a obra de infraestrutura do Loteamento Marivan, com a implantação de redes de drenagem e esgoto sanitário, estação elevatória de esgoto, pavimentação asfáltica, ciclovia e calçada. “O investimento é de cerca de R$ 14,5 milhões, beneficiando 53 vias”, destaca a nota.

Por João Paulo Schneider e Verlane Estácio

Comentários