Moradores fecham avenida em protesto

0

Avenida Maranhão teve trânsito bloqueado durante protesto (Foto: Portal Infonet)
Moradores da invasão da Boca do Jacaré, do bairro 18 do Forte, bloquearam um trecho da avenida Maranhão no final da tarde desta quarta-feira, 7, em protesto à falta de resposta da Prefeitura Municipal de Aracaju quanto a ordem de despejo para desocupação da área, ocupada há mais de 15 anos. Mais de 100 pessoas participaram do protesto.

 Os manifestantes tentaram queimar os pneus utilizados para impedir a passagem de veículos, mas as chamas foram apagadas por populares que discordavam da manifestação. De acordo com a líder da comunidade, Maria Simone Vieira, em reunião realizada na manhã desta quarta no Ministério Público (MP), o prefeito Edvaldo Nogueira enviou um representante que não soube dar um posicionamento aos moradores.

Simone diz que há sete anos questão espera para ser resolvida (Foto: Portal Infonet)
“Deram 45 dias para que os tratores derrubassem nossas casas. Agora o prazo diminuiu para 30 dias. Até agora o prefeito não disse como essa questão será resolvida”, reclamou Simone. Ainda segundo ela, o governador Marcelo Déda, ainda no cargo de prefeito de Aracaju, prometeu que a questão seria resolvida. “Há sete anos Déda disse que poderíamos dormir com a cabeça no travesseiro, em paz, que a Prefeitura pagaria pelo terreno. Mas até ágoras nada”, completou.

A Boca do jacaré é formada por quatro quarteirões e fica atrás do 28º Batalhão de Caçadores do Exército (28º BC). As ruas possuem, inclusive, redes de coleta de esgoto, abastecimento de água e energia elétrica. “O dono do terreno já disse que fecha qualquer acordo com a Prefeitura. Já estamos correndo atrás disso há muitos anos”, acrescentou Simone Vieira.

Manifestantes tentaram queimar pneus para obstruir a via (Foto: Portal Infonet)

Prefeitura

Após a chegada da polícia para desobstrução do trânsito, o protesto teve fim.  Os moradores prometem ir à sede da Prefeitura na manhã desta quinta-feira, 8. “Enquanto Edvaldo Nogueira não nos der uma resposta, vai ter protesto todos os dias”, avisa a líder comunitária.

A Prefeitura informou, através da Secretaria de Comunicação (Secom), que continua avaliando a situação, embora não haja relação direta com o Município, e ainda não tem uma posição sobre o caso.

Comentários