Morte em tanque: operários não usavam equipamentos de segurança

0
SSP investiga as causas das mortes (Foto: reprodução vídeo da SSP)

Os três trabalhadores que morreram quando faziam a limpeza de um reservatório de óleo diesel de um posto de combustível na Cruz da Donzela não utilizavam equipamentos de proteção individual adequados para aquela atividade e, provavelmente, não tinham experiência para realizar aquele tipo de serviço. Estas são as primeiras observações da delegada Maria Zulnária Soares, da Polícia Civil, que está à frente das investigações.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública, a delegada esteve pessoalmente, na noite de quarta-feira, 2, no posto de combustível, onde aconteceu o acidente no município de Malhada dos Bois, e identificou que os três trabalhadores foram contratados por uma empresa terceirizada, para prestar os serviços para aquele posto de abastecimento de veículos.

Conforme a assessoria da SSP, os serviços estavam sendo realizados fora dos padrões exigidos, sem obediência à Norma Regulamentadora 33, que estabelece critérios para a realização de serviços em ambiente confinado.

Confira o vídeo produzido pela SSP

A delegada já intimou algumas pessoas, que prestarão depoimento à polícia na condição de testemunha na próxima semana. Segundo a assessoria de imprensa, os familiares das vítimas estavam muito abalados e não tinham condições emocionais de antecipar os depoimentos.

A assessoria de imprensa informou ainda que a causa da morte dos três trabalhadores ainda não foi identificada. A assessoria informou que os técnicos do Instituto Médico Legal (IML) solicitaram exames complementares nos corpos da vítima para que a causa das mortes seja esclarecida.

Neste episódio, os três homens passaram mal no interior do taque, utilizado como reservatório de óleo diesel. Um dos operários contratados, Douglas dos Santos, 26, morreu no local e os outros dois, José Márcio Vieira dos Santos e um borracheiro conhecido como Léo, chegaram a ser socorridos, encaminhados ao Hospital Regional de Propriá, mas faleceram posteriormente.

Angústia

Uma equipe de policiais estava de plantão no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), cuja sede fica próxima ao empreendimento, e perceberam uma movimentação estranha no posto de combustível. De acordo com a assessoria, os policiais seguiram para o posto e constataram que dois homens teriam entrado primeiro no reservatório para fazer a limpeza e o terceiro, que seria o borracheiro, decidiu entrar para ajudar os dois operários, que estavam passando mal no compartimento, mas também acabou afetado e morreu no hospital.

Houve grande mobilização no local, com policiais civis, a comunidade e uma equipe do Corpo de Bombeiros também seguiu para tentar retirá-los com vida do interior do reservatório. As vítimas também receberam atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não sobreviveram.

Por Cassia Santana

Comentários