MP denuncia acusados pela morte de motorista de aplicativo

0
Quatro acusados foram presos em operação policial (Fotos: Ascom/SSP)

O Ministério Público Estadual denunciou os cinco acusados pela morte do motorista de aplicativo Lucas Pasolyne Santos Barreto, 26, assassinado com requintes de crueldade no mês de maio deste ano. Conforme as investigações realizadas pela Polícia Civil, o crime foi articulado pelo primo da vítima, Gabriel dos Santos Oliveira, conhecido como playboy, e executado pelos outros quatro suspeitos.

Jailson, o Júnior, continua foragido

Quatro acusados estão presos: Gabriel, o primo da vítima, Fabiano Santos Cardoso, conhecido como Compadre, Adriano Barbosa de Santana, o Gavião, e André Felipe Nascimento Santos, o Gordinho. Um permanece foragido: Jailson dos Santos Gaivão, conhecido como Júnior. O Ministério Público acatou a tese da Polícia Civil para denunciar Gabriel Oliveira como mandante e os demais como executores do crime.

Luto e justiça

Lucas desapareceu no dia 8 de maio deste ano e o corpo foi encontrado no dia seguinte, próximo à barragem do Timbó, no município de São Cristovão. O inquérito policial foi concluído pela 5ª Divisão do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) e encaminhado para a Comarca de São Cristovão, onde está em tramitação. O processo tramita em segredo de justiça decretado pelo juízo daquela Comarca.

O radialista Ronaldo Sales, pai de Lucas Pasolyne, continua em luto, acreditando que a justiça está no caminho certo. “Esperamos que a justiça da terra seja feita, agora me sinto feliz pela iniciativa do Ministério Pública em denunciar os acusados”, diz. “E aqui no luto pela perda do meu filho, que sempre foi uma pessoa do bem, que nunca desejou o mal a ninguém. É uma situação que não é fácil, não temos explicação para essa covardia feita por uma pessoa sem maldade”, lamenta Ronaldo Sales.

Lucas desapareceu no dia 8 de maio e no dia 9 o corpo dele foi encontrado nas imediações daquela barragem. De acordo com a investigação, Gabriel ligou para Lucas e combinaram seguir para o conjunto Jardim para pegar um cão. Um amigo de Lucas o acompanhou, mas conseguiu fugir da emboscada. No trajeto, Gabriel solicitou diversas paradas. E em cada parada um suspeito entrava no veículo para, finalmente, executar a vítima, que teve mães e pés amarrados, além de ter sido brutalmente espancado e atingido por golpes de arma branca.

O advogado Saulo Henrique Caldas, que está atuando na defesa de Jailson Galvão, o Júnior, informou que está analisando as provas contidas nos autos para definir a estratégia da defesa e que tentará, na justiça, assegurar ao cliente o direito de responder ao processo em liberdade. “Vamos dialogar com as provas”, reage Saulo. Encontrando provas contundentes, o advogado diz que vai conversar com o cliente para ele tomar a decisão que achar mais conveniente. Mas que tentará reverter a situação para que o acusado não permaneça na condição de foragido da justiça.

Os advogados habilitados no processo para fazer a assistência jurídica aos demais acusados que estão presos já ingressaram com um recurso jurídico pedindo a libertação deles, mas ainda não já julgamento desses pedidos. O Portal Infonet não conseguiu contato com os advogados e permanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

por Cassia Santana

Comentários