Pacotes não identificados são encontrados na Praia do Abaís

0
Material também foi encontrado na Praia do Abaís (Foto: Prefeitura de Estância)

Os pacotes não identificados, que estão aparecendo em diversas praias do Nordeste, inclusive em Aracaju, também foram encontrados na manhã desta quarta-feira, 31, na Praia do Abaís, no litoral sergipano. O material foi recolhido por técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) e biólogos do Projeto Tamar.

Prefeitura de Estância, Adema e FMA recolheram o material

“Aparentemente, se trata de material sintético derivado de petróleo. Após o recolhimento, o material foi encaminhado para análise laboratorial e posterior identificação. Como esse mesmo material foi encontrado em vários estados, a investigação do ocorrido provavelmente deve ficar a cargo da Polícia Federal”, explicou o Secretário do Meio Ambiente Joubert Denner.
Os mesmos materiais foram encontradas no último fim de semana, nas praias de Atalaia e Mosqueiro, por integrantes da Fundação Mamíferos Aquáticos, durante monitoramento ambiental das praias.

A Agência Estadual do Meio Ambiente de Pernambuco, estado onde os pacotes também foram encontrados, enviou nota à imprensa nesta quarta-feira, 31, informando que após análise preliminar do material, identificou que o resíduo se parece com um polímero, um tipo de plástico ou borracha; e que credita que o material é oriundo de algum navio em alto mar, podendo ser de um naufrágio ou uma carga de defensas (material usado para minimizar o impacto do navio ao cais do Porto) que não tinha mais condição de uso.

A Agência disse também que informará aos municípios o procedimento para a correta destinação destes resíduos; e que solicitará aos órgãos Federais (IBAMA e Capitania dos Portos), auxílio para tentar localizar o responsável pelos materiais, já que em virtude dos pacotes terem aparecido em todo o litoral do Nordeste, ocorreu alguma situação fora do normal em alto mar.

por Verlane Estácio com informações da Prefeitura da Estância e da Agência Estadual do Meio Ambiente de Pernambuco

Comentários