Pai e filho vivem emocionante reencontro

0

Reginaldo, Ronaldo e Luis Gustavo: reencontro emocionante

No Fórum de Simão Dias, várias audiências previstas para a manhã desta quinta, 30, foram adiadas para que fosse dado um desfecho à novela envolvendo o garoto Luis Gustavo, encontrado em uma rodovia sergipana por um casal, em setembro. O pai do menino, Ronaldo Alves, do Mato Grosso do Sul, terá a guarda definitiva da criança que emocionou o Estado de Sergipe. 

Clique e relembre o caso


Na sala onde ocorreu a reunião, o menino Luis estava no colo do pai biológico, mas era o radialista Reginaldo Pereira que ele chamava carinhosamente de papai. “Haverá um tempo de adaptação entre Ronaldo e o filho, tudo será uma questão de tempo”, diz a juíza Maria Angélica Almeida Leite.

 

Juiza Maria Angélica

Questionada se foi a melhor decisão, a magistrada confirmou que sim. Segundo Angélica, ele veio com o propósito de levar o filho e trouxe toda a documentação, não havendo motivo para não conceder a guarda.

 

Adaptação e emoção

 

Para que haja essa convivência entre eles e os pais provisórios do garoto, Reginaldo e Valdenira, a Secretaria de Ação Social de Simão Dias financiará a estadia de Ronaldo na cidade pelo período de duas semanas. “Quinze dias é o que prevê o Estatuto da Criança e Adolescente em casos como este”, explica o promotor Ricardo Souza.

 

Valdenira não conseguiu conter choro
O casal que criava provisoriamente o garoto marcou uma presença emocionada na audiência. Valdenira chorava bastante e Reginaldo disse estar feliz, pois desde o início o propósito era encontrar a família da criança. Mas no que depender de Ronaldo, o laço não vai acabar. “Eles foram dois anjos na vida de meu filho, vamos voltar muitas vezes aqui”, agradeceu.  

 

Feliz, o sul-mato-grossense falou que está com uma sensação de renascimento. “A última vez que o vi ele tinha oito meses de vida. Agora, depois da tristeza que aconteceu com a Simone [mãe do garoto, morta pelo último companheiro] quero apenas cuidar dele. É como nascer de novo”, conta.

 

Sentimento de culpa

 

Menino emocionou Sergipe quando foi encontrado
Ronaldo também declarou se sentir culpado pela morte da mãe de Luis, sua ex-companheira. “Sempre gostei muito dela, até hoje não sei porquê não deu certo. Fui para a Bolívia e desde então não procurei saber como ela e meu filho estavam por pressentir que estavam bem”, revelou.

 

A avó materna, Anália, que já esteve em Simão Dias lutando pela guarda do garoto, também terá participação na educação do neto, segundo Alves. Em novembro, pai e filho seguirão para a cidade de Bonito (MS). “Deus esteve com ele, está com ele e irá junto com ele”, disse Reginaldo. Que assim seja!


Clique e relembre o caso

 

Por Glauco Vinícius e Carla Sousa

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais