“Parecia cena de guerra”, diz morador após tiroteio

0
'Parecia cena de guerra', diz morador após tiroteio no conjunto Tiradentes (Fotos: Portal Infonet)

“Parecia cena de guerra, os bandidos passavam de pistola na mão pelas ruas. A festa foi um verdadeiro açougue, só deu sangue. Aqui sempre que tem evento na praça acaba em confusão ou em morte. Conseguiram mais uma vez tirar a paz dos moradores”, esse é o relato de um morador do conjunto Tiradentes, na zona Oeste de Aracaju, que não quis se identificar com medo de represarias.

O cenário narrado ocorreu na noite desta segunda-feira, 22, durante a comemoração do aniversário de 41 anos do conjunto. Uma confusão entre participantes da festa na praça Ronaldo Barreto acabou em tiroteio e causando tumulto entre os moradores. Vagner Wesley dos Santos, 18 anos, foi atingido por disparos de arma de fogo e acabou falecendo no local. O corpo da vítima deu entrada no Instituto Médico Legal (IML), às 23h18. Na grama da praça ainda é possível perceber as manhas de sangue. Outras três vítimas ficaram feridas no tiroteio e foram encaminhadas ao Hospital de Urgências de Sergipe (Huse).

Comemoração de 41 anos do conjunto acabou em morte e tiroteio

Na manhã desta terça-feira, 22, era possível encontrar ruas desertas. A reportagem do Portal Infonet flagrou uma munição no interior de uma residência. Com medo, poucos moradores comentaram o episódio da noite anterior. De acordo com um bancário e morador da localidade, de iniciais, J.S., 29 anos, o tiroteio teve início às 20h. Ele conta que problemas em festas no conjunto ocorrem com frequência. “Estava em casa e só ouvi o barulho dos tiros. Não é a primeira vez que tem problemas em festas aqui, sempre há registros de facadas e homicídios. A segurança aqui no bairro é mínima”, conta o bancário.

O soldador de iniciais F.S., 37 anos, que estava na festa durante a confusão, conta que não havia policiamento nas imediações da praça a enquanto ocorria a festa. “Estava tudo tranquilo, quando ouvi os tiros e a correria da população. Não tinha polícia na festa, ela só veio aparecer depois dos tiroteios, e foi aí que aumentou a troca de tiros”, denuncia.

Na grama da praça ainda é possível ver as manchas de sangue

PM

Segundo o Capitão Fábio Cardoso, do 8º Batalhão de Polícia Militar (PM), responsável pelo policiamento na região, a polícia foi acionada e ao chegar a praça, o tiroteio já havia ocorrido. Ainda segundo o capitão Fábio Cardoso, uma viatura da Companhia de Polícia de Radiopatrulha (CPRp) foi acionada para atender a ocorrência.  “Policiais da Radiopatrulha atenderam a ocorrência, e ao chegar ao local fez várias buscas, mas o autor dos disparos não foi identificado. Reforçamos o policiamento no conjunto", diz.

Sobre o policiamento na região, o capitão disse que "atualmente, possuímos uma viatura que faz o policiamento do conjunto Tiradentes, com rondas no local e atendendo as ocorrências".

Huse

Ao Portal Infonet, a assessoria de comunicação do Huse informou o quadro médico dos três homens feridos no tiroteio. As vítimas identificadas como Alisson, Gilvaneidisson e Iractan, deram entrada às 21h02 desta segunda-feira, 22, na unidade de saúde. Ainda de acordo com o Huse, o estado de saúde das três vítimas é grave, porém estável. Alisson e Gilvaneidisson foram atingidos na região do abdômen. Ambos estão internados na ala vermelha da unidade hospitalar, enquanto Iractan encontra-se no centro cirúrgico, onde será operado nas próximas horas para a retirada da bala alojada no corpo.

Outras mortes

O bancário e morador da localidade, de iniciais, J.S.

Portal Infonet flagrou municão em interior de residência

Na manhã desta terça-feira, 22, o policiamento foi reforçado no conjunto

O IML, na capital sergipana, registrou outras duas mortes por arma de fogo nas últimas 24 horas em todo Estado. Lucivan de Oliveira Aguiar, 21 anos, foi assassinado a tiros em Tomar do Geru, município distante 131 km de Aracaju. O crime ocorreu Às 13h17, no Povoado Cardoso, na zona rural do município. A vítima morreu no local.

Outro homicídio por ama de fogo foi registrado em Boquim, a 82 km da capital. A vítima do sexo masculino que ainda não foi identificada foi assassinada em uma via pública da cidade.

Por Leonardo Dias e Kátia Susanna

Comentários