Peças de concreto causam transtornos em Loteamento

0
Células de concreto espalhadas assustam e causam transtornos (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

Os moradores do Loteamento Nova Esperança estão revoltados com os transtornos que enfrentam em consequência do abandono de grandes e volumosas peças de concreto que deveriam ser usadas em obras públicas.

As peças estão espalhadas em um trecho do loteamento e, coberto por matagal e lixo, o local está sendo transformado em pontos de encontro de usuários de drogas, banheiro público e até usado como motel por alguns casais, segundo denúncia dos moradores.

“A gente já pediu para a prefeitura retirar, mas ninguém faz nada”, relata a balconista Cristina Sampaio, que reside no loteamento há cerca de 20 anos. Além do incômodo com as volumosas peças de concreto, os moradores reclamam do descaso do poder público e denunciam o acúmulo de lixo em vários pontos. “A gente pede ajuda à prefeitura de Aracaju que diz que a área pertence a Socorro e a gente pede a Socorro, mas ninguém resolve nada”, conta.

Lixo espalhado

A dona de casa Maria José da Silva Melo, que reside no local há 12 anos, revela que tem medo de passar próximo às peças de concreto durante à noite. “Tem gente que chega muito tarde em casa, depois que sai do trabalho, e atravessa tudo isso com medo de ser assaltada”, diz.

Obras

A Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro admite ter responsabilidade sobre o Loteamento Nova Esperança, mas observa que não pode retirar as peças de concreto porque deveriam ser usadas em obras que estão em fase de execução pelo Governo do Estado.

A assessoria de imprensa informa que a coleta é feita regularmente durante três dias da semana e orienta os moradores a não jogarem o lixo na rua. A assessoria diz que os moradores devem juntar o lixo, armazená-lo em sacolas para colocá-las expostas na porta da própria residência nos dias programados para a coleta.

Usuários de drogas usam as células como ponto de encontro

O secretário de Estado de Infraestrutura, Valmor Bezerra, explicou que aquelas peças são células de concreto para execução de obras de macro drenagem e que os trabalhos não seriam de responsabilidade do Governo do Estado, conjecturando a possibilidade de ser de responsabilidade da Prefeitura de Aracaju.

Valmor informou que o Governo do Estado possui, em andamento, uma obra de grande porte na região, mas que estaria paralisada em decorrência da morosidade na desapropriação de 102 imóveis, cujos processos ocorreram de forma litigiosa, com a interferência do Poder Judiciário, e investimentos na ordem de R$ 6 milhões.

Por conta do atraso da obra, que tem extensão de 5 km para interligar a avenida Santa Gleide à BR 235, a empresa que venceu a licitação não deu sequência e, no ano passado, a Secretaria de Estado de Infraestrutura realizou novo processo licitatório e uma das empresas desclassificadas ingressou com ação judicial, cujo processo se encontra em grau de recurso, segundo informou o secretário.

Matagal denuncia o descaso do poder público

Mas descartou a possibilidade de ser desta obra aquele material abandonado no Loteamento Nova Esperança. O Portal Infonet tentou ouvir a prefeitura e a Secretaria Municipal de Comunicação se comprometeu a dar uma resposta sobre a questão. O Portal permanece à disposição. Informações devem ser encaminhadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

Por Cássia Santana

Comentários