Perícia é realizada em local de acidente que vitimou casal na Aruana

0
Perícia foi feita na manhã de hoje (Foto: Grupo whatsapp/ Sergipe Notícias)
Análise seria para analisar velocidade do veículo, explica perito criminal (Foto: Portal Infonet)

Peritos criminais realizaram na manhã desta quarta-feira, 7, uma perícia no local do acidente que vitimou Jélia Fernanda de Oliveira Leite da Silva, 38, e o esposo dela, Arnaldo Ângelo da Silva, 38, no dia 27 de outubro. A colisão entre a motocicleta em que o casal estava e o veículo Sportage ocorreu na rodovia Inácio Barbosa [a antiga rodovia José Sarney], na Praia de Aruana.

De acordo com o perito Luciano Homem, a análise serviu para fazer uma estimativa da velocidade do veículo no momento do acidente, utilizando como técnica a sobreposição de imagens das câmeras de segurança de um bar localizado nas proximidades do local. “Nós fazemos um balizamento, para a partir disto fazer uma régua graduada, e sobrepor essas imagens com as imagens do dia do acidente naquele dia. A partir desse procedimento poderemos estimar a velocidade que os veículos desenvolviam no momento do acidente”, explica.

A análise foi solicitada pela delegada Daniela Lima, de Delitos de Trânsito. Segundo a delegada, a perícia irá auxiliar nas investigações, detalhando se o condutor do carro foi imprudente ou não. Caso seja constatado que houve imprudência do motorista, ele pode ser condenado por homicídio culposo.  “A princípio homicídio culposo de trânsito, mas isso é apenas uma pequena hipótese. Só podemos firmar qual será o crime e se houve crime com a conclusão das investigações e indiciamento da pessoa”, explicou.

“Investigações continuam”, declara delegada Daniela Lima (Foto: Portal Infonet)

Segundo a delegada, as primeiras testemunhas já foram ouvidas, e outras prestarão depoimento na próxima semana.

Entenda

Um acidente envolvendo uma motocicleta e um veículo Sportage levou à óbito um casal, na rodovia Inácio Barbosa [a antiga rodovia José Sarney], na Praia de Aruana. A mulher faleceu ainda no local, enquanto o homem chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

Dois dias após um homem se apresentou como condutor do veículo e falou a sua versão sobre o acidente, mas a delegada ainda investiga esta versão, uma vez que ele não é o proprietário do carro. Ele permanece em liberdade.

por Yago de Andrade

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais