PM que matou agente civil em tiroteio ganha liberdade

0
Local onde o policial civil caiu baleado (Foto: Arquivo Portal Infonet)

A juíza Soraia Gonçalves, da 8ª Vara Criminal, revogou a prisão preventiva do cabo Alberto Silva Santos, da Polícia Militar, acusado de matar o policial civil Wilson Oliveira Santos, 51, crime ocorrido durante tiroteio envolvendo os dois policiais na praça Fausto Cardoso na noite do dia 30 de setembro deste ano, em Aracaju. Com esta decisão, o PM deixa o Presídio Militar (Presmil), onde estava detido aguardando desfecho do processo judicial.

O advogado Aurélio Belém prima pela defesa do policial militar acusado, com a tese de legítima defesa e pediu a absolvição sumária do policial. A juíza acatou o pedido de relaxamento da prisão para conceder a liberdade do cabo da PM, mas não vislumbrou hipótese de absolvição sumária.

Os dois policiais trocaram tiros no início da noite do dia 30 de setembro na Praça Fausto Cardoso, em local próximo à Assembleia Legislativa. Cerca de um mês após a ocorrência, o promotor de justiça Flaviano Almeida, que atua na 8ª Vara Criminal, formalizou denúncia contra o policial militar por homicídio qualificado por motivo fútil, entendimento do delegado Kássio Viana, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), quando concluiu as investigações e relatou o inquérito policial.

Por Cássia Santana

Comentários