Poço Redondo: mãe, filho e vaqueiro continuam presos

0
Inquérito tramita na Delegacia de Poço Redondo (Foto: Arquivo Portal Infonet)

A polícia não tem dúvida da participação da esposa e investiga a participação do filho da acusada no assassinato do ex-vereador Manoel Messias dos Santos, 57, cujo corpo foi encontrado em uma cova rasa na fazenda da própria vítima no município de Poço Redondo. O ex-vereador estava desaparecido há cerca de 30 dias e, durante as investigações, o vaqueiro Adevaldo Hora acabou confessando o crime.

O ex-vereador foi assassinado com requintes de crueldade e teria sido morto por determinação da própria esposa, Maria José do Nascimento, conhecida como Menzinha. De acordo com informações do delegado Jorge Eduardo dos Santos Filho, regional de Nossa Senhora da Glória, que participou das investigações, a esposa da vítima teria negociado a morte do ex-vereador, pagando a dívida com dez tarefas da fazenda pertencendo ao ex-vereador.

Os dois já foram detidos mediante mandados de prisão expedidos pela juíza Patrícia Cunha, da Comarca de Poço Redondo, mas as investigações não foram concluídas. A polícia está apurando a participação de uma terceira pessoa no crime: o filho da acusada, Aglaerton Messias dos Santos, que também foi detido por determinação judicial. “Ainda não sabemos que tipo de participação ele teve no crime, mas ele sabia de tudo”, revela o delegado Jorge Eduardo.

Desaparecimento

O ex-vereador estava desaparecido há cerca de 30 dias e o corpo foi encontrado na terça-feira, 8, em estado de putrefação, enterrado em uma cova rasa na propriedade do próprio ex-vereador no povoado Santa Rosa do Ermírio em Poço Redondo. Aos familiares, a esposa da vítima revelou que o ex-vereador teria viajado com outras pessoas e teria saído de casa dizendo que só retornaria “quando o pasto acabasse”. O tempo foi passando e a família começou a desconfiar. A polícia foi acionada e as investigações foram iniciadas com participação direta dos delegados Jorge Eduardo e Helder Sanches, do município de Poço Redondo.

De acordo com as investigações, o ex-vereador recebeu a primeira paulada na porta da casa e teria sido aplicada pelo vaqueiro. Debilitado, o ex-vereador teria sido levado para o quarto e lá sofreu novos golpes. O vaqueiro e a esposa da vítima saíram e, próximo ao milharal, teriam feito a cova próximo ao milharal. Os dois teriam retornado ao local onde o ex-vereador foi largado ainda com vida e o colocaram num carrinho de mão. O vaqueiro teria empurrado o carrinho com a ajuda da mulher que seguia na frente, puxando com ajuda de uma corda, e, em seguida o enterraram na cova que havia sido preparada anteriormente.

O delegado Jorge Eduardo informou que a polícia recolheu provas suficientes e o vaqueiro acabou convencido a confessar o crime. A polícia solicitou a prisão dos três suspeitos, realizou a reconstituição do crime e ainda está concluindo o inquérito policial que tramita na Delegacia de Poço Redondo. O corpo do ex-vereador ficou sem identificação oficial por alguns dias, mas já foi devidamente identificado e liberado para sepultamento.

Por Cássia Santana

Comentários