Polícia apresenta quadrilha de furto a bancos

0

Sete integrantes foram interceptados quando voltavam da Bahia
“Foi um brilhante trabalho de investigação da Polícia Civil”. Assim descreve o delegado Cristiano Barreto, a operação que culminou na desarticulação de uma quadrilha especializada em furtos a bancos em pelo menos seis estados do país. Em Sergipe, as agências bancárias de Ribeirópolis, Propriá, Moita Bonita e Riachão do Dantas foram alvo dos criminosos.

Os seis suspeitos presos na madrugada do sábado, 11, foram apresentados na manhã desta segunda-feira, 13, no Complexo de Operações Especiais da Polícia Civil (Cope). Foram detidos Allan Samuel da Cruz, 18, Carlos Alexandro, 28, Aurival Francisco, 36, Janete Lima, 35, Elsiane dos Santos, 21, todos eles do Sul do país. O único sergipano do bando, Bruno José dos Santos, 22, também foi preso. Junto ao grupo foi apreendido um adolescente de 17 anos.

Segundo o delegado Cristiano Barreto, a quadrilha foi interceptada no momento em que retornava da cidade baiana de Paripiranga, onde planejava o furto do Banco do Brasil daquela cidade. Com residência fixa em Aracaju há alguns meses, o grupo morava em uma casa na Coroa do Meio, onde planejava as ações para adentrar nas instituições bancárias.

Parte dos instrumentos apreendidos pela polícia
“O sergipano Bruno era quem financiava ação da quadrilha e era responsável pela logística do grupo. O ponto de apoio deles era aqui em Sergipe, mas eles agiam também na Bahia e em Alagoas”, explica o delegado, que acrescente ainda que todos serão autuados por furto qualificado.

“Eles invadiam as agências quando estavam fechadas, e levavam cerca de cinco horas para preparar o local. Eles usavam sombreiros para inibir os sensores que disparavam os alarmes. No dia seguinte voltavam ao banco, e arrombavam o cofre usando um maçarico”, detalha Cristiano.

Com o bando foram apreendidos diversos instrumentos que serviam para facilitar a entrada nas agências bancárias e o arrombamento dos cofres, além de notebooks, armas, munições, celulares e radiotransmissores.

Operação Umbrella

Delegado enfatiza a parceria entre Cope e Dipol
De acordo com delegado Cristiano Barreto, a Operação Umbrella teve início em dezembro do ano passado, com o primeiro furto do bando a uma agência em Sergipe. Na ocasião, os criminosos invadiram o Banco do Brasil em Propriá, de onde levaram a quantia de R$ 860 mil. Algum tempo depois foi a vez de Ribeirópolis sofrer com a ação dos bandidos. Em um furto a um banco do município, os assaltantes levaram cerca de R$ 180 mil.

O delegado ainda destaca a ação da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) em parceria com o Cope e afirma a possibilidade de haver a prisão de novos componentes em breve.
 

Por Helmo Goes e Aldaci de Souza

Comentários