Polícia de SP apreende documentos em operação contra Valdevan Noventa

Documentos e dispositivos eletrônicos foram apreendidos na ação policial (Foto: SSP/SE)

Foi deflagrada, na manhã desta sexta-feira, 11, mais uma etapa da Operação Chapelier, que investiga desvios de recursos no âmbito do Sindicato dos Motoristas do Transporte Coletivo de São Paulo, que tem como ex-presidente, o ex-deputado federal Valdevan Noventa. Documentos e dispositivos eletrônicos que apontam a existência de um laranja foram apreendidos pela Polícia Civil de São Paulo.

De acordo com o delegado Fonseca Junior, coordenador operacional do Central Especial de Repressão ao Crime Organizado (Cerco), a nova etapa da operação identificou documentações que apontavam um homem como laranja de Valdevan Noventa. “Entre elas uma conta de energia que identificou para gente a casa que ele tinha na Praia do Saco. A casa é de um quarteirão e pintada nas cores de Valdevan, o verde e branco, mas a conta estava no nome do laranja”, detalhou.

Diante dessa apuração, a Polícia Civil de São Paulo encontrou a casa onde o suposto laranja morava em Umbaúba. “Começamos a procurar as informações e levantamos a casa que ele morava em Umbaúba, uma casa mais simples e que nos levou a entender que, facilmente, ele é uma pessoa a mais nesse rol de laranjas ou não, que Valdevan utilizava. Elaboramos o mandado de busca e hoje cumprimos esse mandado”, revelou.

Na casa desse suposto laranja, que não estava no imóvel, foram encontrados documentos e um troféu de corrida de cavalo. “E também documentos de compra e venda de veículos, além de um notebook, escondido atrás de pedras, com toda a documentação do Haras 90, inclusive documentos de compra de cavalos. Animais, que de acordo com o mostruário do leilão, avaliados em R$ 1,8 milhão, R$ 250 mil”, informou.

Conforme o delegado, novos nomes também surgiram durante essa nova etapa da operação. “Novos nomes apareceram e serão avaliados com toda a cautela. O material encontrado hoje é de uma riqueza enorme para a investigação. Apreendemos três celulares e um notebook. O que indica que ele é laranja é que ele não há comprovação da renda, já que a casa vale em torno de R$ 2 milhões. E a esposa declarou que ganha R$ 3mil”, citou.

As investigações continuam em andamento e são titularizadas pela Polícia Civil de São Paulo. Toda operação em Sergipe recebeu suporte da Polícia Civil de Sergipe.

Posicionamento

Por meio de nota, a assessoria de imprensa de Valdevan Noventa informa que mais um mandado de busca e apreensão foi realizado na manhã desta sexta-feira, dia 11. Desta vez, apreendendo apenas documentos referentes aos registros dos cavalos, alguns destes que já foram apreendidos, outros vendidos ou falecidos.

Valdevan Noventa lamenta as exaustivas e sucessivas ações policiais, entendendo que as mesmas ações poderiam se resumir em apenas uma única busca. Ainda, segundo Noventa, causa estranheza, que todas as ações policiais são previamente pautadas aos veículos de imprensa, o que sinaliza supostas tentativas para fragilizar a sua imagem ou desviar as atenções da mídia todas as vezes que a imprensa paulistana coloca em pauta o orçamento do Transporte Público de São Paulo.

Valdevan Noventa também lamenta que as ações estejam sendo estendidas aos amigos e pessoas que tiveram ou têm proximidades com ele. No mais, Valdevan respeita e se coloca à disposição das autoridades para quaisquer atos que se fizerem necessários ao inquérito policial. Oportunamente assim que o inquérito for concluído, sua defesa será apresentadas aos autos e aos veículos de comunicação.

Fonte: SSP/SE

Portal Infonet no WhatsApp
Receba no celular notícias de Sergipe
Clique no link abaixo, ou escanei o QRCODE, para ter acessos a variados conteúdos.
https://whatsapp.com/channel/
0029Va6S7EtDJ6H43
FcFzQ0B

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais