Polícia detalha prisão de quadrilha de roubo de cargas

0

Quadrilha tinha armas minições e coletes(Foto: Allan Carvalho/SSP)
Na manhã desta sexta-feira, 25, a Polícia Civil de Sergipe detalhou o processo de investigação que culminou com a prisão de quatro pessoas, na noite de quinta-feira, 24,. Os presos  que integravam uma quadrilha especializada em roubos de cargas e veículos. Os criminosos, que atuavam em rodovias que cortam os estados de Sergipe e Alagoas, foram surpreendidos pelos agentes civis sergipanos na cidade alagoana de São Sebastião, distante 37 quilômetros da capital Maceió.

A polícia conseguiu prender Amaury Dias de Santana, 30 anos, natural da cidade de Propriá, condenado a 67 anos de prisão. Ele é apontado como um dos líderes do bando. Além dele, foram presos o aracajuano José Leandro Santana Santos, 24 anos, e os alagoanos Anderson Ferreira, 26 anos e José Cícero da Silva, 33 anos, apontado com o braço armado da organização criminosa com quatro registros de fuga de delegacias alagoanas.

Polícia apreendeu carros em poder da quadrilha(Foto: Allan Carvalho/SSP)
”Todos possuem registros de prisões anteriores por conta de crime de roubo e estão envolvidos também na destinação dos bens roubados. Eles costumavam agir com violência e utilizavam armas de grosso calibre de utilização restrita das polícias e Forças Armadas”, destacou o diretor do Cope, delegado Everton Santos.

Durante a operação, a polícia apreendeu cargas de ferragens e fertilizantes, coletes balísticos, 34 munições calibre 9 milímetros, uma submetralhadora, uma pistola calibre 9 milímetros, capuzes, duas camionetes Toyota Hilux, sendo uma roubada no litoral de Alagoas e uma “clonada”, adquirida no município de Arapiraca.

Um terceiro carro, Fiat Strada, foi roubado pelo grupo nesta quarta-feira, 23, no município sergipano de Pedra Branca. “Há o registro de pelos menos quatro assaltos a cargas efetuados pelo grupo. Para se ter uma idéia do poder de fogo da quadrilha, a submetralhadora apreendida dispara 150 tiros por minuto”, finalizou Everton.

Modo operante

Quadrilha guardava cargas em um galpão(Foto: Portal Infonet)
O grupo sempre utilizava de veículos potentes para abordar os carros das vítimas, utilizando coletes de polícia e armamentos pesados. Subtraiam todos os objetos e carros de valor e depois de dominar as vítimas por algum tempo as abandonavam. Todo o material roubado era utilizado pelo grupo e comercializado.

“O grupo mantinha um galpão no município de São Sebastião, onde era guardado todo o material roubado”, explicou o delegado André Baronto. As investigações duraram cerca de um mês e foram realizadas pelo Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), Delegacia Regional do município de Maruim e Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol). O delegado do Cope, Cristiano Barreto, também participou da coletiva à imprensa na manhã desta sexta-feira.

Com informações da SSP

Comentários