Polícia prende suspeitos da morte de secretário, mas um está foragido

0
As buscas continuam para localizar o executor do delito, identificado como Edmilson Oliveira dos Santos (Foto: SSP/SE)

A Polícia Civil concluiu as investigações sobre o homicídio que vitimou o secretário de obras da cidade de Brejo Grande, José Milton Marques Silva, no dia 1º de junho deste ano. A ação policial resultou nas prisões de Damião Feitosa, pré-candidato a vereador, apontado como o mandante do crime, e de Radlley Henrique Figueiredo da Silva, que conduzia o veículo que deu fuga ao executor da ação criminosa, identificado como Edmilson Oliveira dos Santos, conhecido como “Mimi”.

O procedimento investigativo e as ações policiais que resultaram nas prisões dos envolvidos no crime contaram com o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol) e da Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci).

De acordo com o delegado José Luiz Accioly, que coordenou as investigações, a vítima foi atingida por quatro disparos de arma de fogo dentro do prédio da secretaria, ainda durante o expediente. “O secretário de obras de Brejo Grande foi morto por Edmilson quando estava sentado no sofá, falando ao telefone. Foram quatro disparos de arma de fogo, sendo três no abdômen e um no rosto”, detalhou.

O procedimento investigativo apontou que Edmilson chegou ao local e praticou o crime, enquanto Radlley esperava do lado de fora do prédio, em um veículo utilizado para a fuga. “Na fuga, o carro quebrou e foi abandonado. Eles fugiram para um matagal, onde ficaram do horário da fuga até a noite, enquanto as equipes de policiais civis, militares e o Grupamento Tático Aéreo (GTA) faziam buscas na cidade”, complementou.

Ainda conforme o delegado, por volta das 19h, Damião, apontado pelas investigações como o mandante do crime, encaminhou Manoel Nascimento da Silva Neto, o “Neto Som”, para resgatar Radlley e Edmilson. Eles foram levados à divisa com Alagoas, de onde cada um fugiu para um estado diferente. Radlley foi preso em Catu (BA) e confessou o crime, sem revelar a motivação. “Damião passou o veículo e pagou a quantia de R$ 5 mil para que executassem a vítima”, mencionou.

Damião foi preso na própria residência, na cidade de Brejo Grande. Ele ainda tentou se esconder da ação policial e, em depoimento, nega o envolvimento no crime, mas as investigações comprovaram sua participação efetiva no homicídio do secretário de obras da cidade.

As investigações seguem para elucidar a motivação do crime. As buscas continuam para localizar o executor do delito, identificado como Edmilson Oliveira dos Santos. Informações e denúncias podem ser repassadas por meio do Disque-Denúncia (181). O sigilo é garantido.

Fonte: SSP/SE

Comentários