Policiais penais farão ato para cobrar vacina contra a covid-19

0
Policiais penais farão ato na quinta-feira, 22 (Foto: Sejuc)

O Sindicato dos Policiais Penais de Sergipe (Sindppen) fará uma ato na próxima quinta-feira, 22, para cobrar do Governo do Estado uma resposta acerca da inclusão da categoria na fase de vacinação contra a covid-19 das forças de segurança e de salvamento. A mobilização acontecerá às 9h, em frente à Secretaria de Estado de Saúde (SES). Toda a categoria está convocada.

O Sindicato já havia enviado ofício a diversos órgãos do Governo do Estado explicando que, pela lei em vigor, os policiais penais, assim como os militares e civis, fazem parte das forças de segurança do Estado e, por isso, deveriam estar no grupo daqueles profissionais das forças de segurança e de salvamento que começaram a ser vacinados no início do mês de abril.

A vacinação é extremamente necessária porque a categoria é responsável pela custódia, revista e escolta de presidiários acometidos pelo vírus da covid-19 tanto em pavilhões prisionais reservados, como em unidades hospitalares. Soma-se a isso o fato de que os policiais penais atuam também controle de visitantes nas unidades prisionais, preenchendo, desta forma, todos os pré-requisitos estabelecidos pelo Ministério da Saúde para vacinação, neste momento, dos trabalhadores das forças de segurança.

“Como é que pode uma Secretária de Estado da Saúde desobedecer a Constituição Estadual e ignorar que uma categoria faz parte das forças de segurança? A situação é de revolta, pois a nota técnica do Ministério da Saúde é clara quando diz que devem ser vacinados os trabalhadores da segurança que fazem o transporte de pessoas de pacientes, que nosso caso, seria o transporte de pacientes detentos com covid-19. Outro fator é que nós policias penais estamos expostos diariamente ao vírus, o que é comprovado, inclusive, por testagens como a da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que apontou que mais de 50% dos detentos de Sergipe já foram contaminados. Se não houver a imunização dos policiais penais, o Sindicato vai orientar a toda a categoria que as escoltas e custódia de presos sejam repassadas às forças de segurança já vacinadas”, comenta o presidente do Sindppen, Wesley Souza.

A insatisfação da categoria já havia sido noticiada pelo Portal Infonet. Na ocasião, em nota, a SES afirmou que os policiais penais não estão inseridos dentro dos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde como trabalhadores das forças de segurança e salvamento. A Secretaria explicou  que os policiais penais estão contemplados nos grupos prioritários da quarta fase do Plano Nacional de Imunização junto com os professores”.

Com informações do Sindppen

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais