Itaporanga descarta risco de enchente após barragem se romper na BA

0
Prefeitura de Itaporanga descartou grandes riscos de enchentes (Foto: BPrv)

Após uma barragem ter se rompido na tarde desta quinta-feira, 11, no povoado Quati, localizada entre os municípios de Coronel João Sá e Pedro Alexandre, na Bahia, começou a circular nas redes sociais que Itaporanga poderia ser atingida por enchentes de grandes proporções. A prefeitura da cidade, contudo, descartou riscos de enchentes na região. Segundo a administração, há pouquíssimas chances do município ser afetado, mas por prevenção, todos os órgãos responsáveis estão em alerta e preparados para quaisquer ações de emergência.

Comunicado que circula nas redes sociais (Foto: grupo/ Facebook/ Informações Policiais)

Ainda segundo o comunicado do município sergipano, houve um contato com a Defesa Civil do Estado de Sergipe, que, por sua vez, informou que a barragem era de pequeno porte, não chegando à grandes proporções. “Com essa informação, a Administração acalma à população com relação a enchente causada por esse rompimento. As Secretarias continuam de prontidão caso haja quaisquer incidentes ocasionados pelas fortes chuvas.”, informa à nota.

Comunicado da Defesa Civil do Estado de Sergipe

Em nota, a Defesa Civil descartou danos não só ao município de Itaporanga, como também a todos os outros municípios do estado. “O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec) informa que o rompimento da barragem do Quati, localizada entre os municípios de Coronel João Sá e Pedro Alexandre, na Bahia, ocorrido nesta quinta-feira, 11, não deverá afetar de maneira significativa os municípios sergipanos”, informa à nota.

“Assim que receberam as informações sobre o acontecido, as equipes técnicas da Defesa Civil avaliaram a situação e concluíram que, por se tratar de uma estrutura de pequeno porte, não oferece risco potencial para Sergipe. “Ainda que as águas cheguem ao Vaza Barris, elas devem ser diluídas ao longo do curso do rio, sem grandes alterações nos níveis”, explicou cel. Alexandre, diretor do Depec”, conclui o órgão.

Por João Paulo Schneider e Aisla Vasconcelos

Comentários