Presidente do TRE comenta apuração do Referendo

0

Sergipe foi o primeiro Estado Nordestino a concluir a apuração dos votos no Referendo 2005. Enquanto em muitos locais do Brasil ainda havia votação devido ao fuso-horário, em Sergipe, a apuração já havia começado. Além disso, apenas uma urna teve que ser contabilizada de maneira manual. Esses e outros fatores acabaram fazendo com que o eleitor sergipano conhecesse, logo cedo, o resultado do Referendo 2005. Confira, abaixo, uma entrevista com Josefa Paixão, presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

 

PORTAL INFONET – Como a senhora avalia o processo de votação do referendo no Estado?

Josefa Paixão – Foi muito bom. Tudo transcorreu dentro do previsto e conseguimos adiantar a apuração dos resultados, sendo que antes das 22 horas, já tínhamos um bom número de urnas contabilizadas. Além disso, apenas um percentual mínimo de urnas falharam (número que chegou a 59) e tivemos apenas uma apuração manual (votos em cédulas).

 

INFONET – O número de abstenções chegou a 21,32%. Em sua opinião, por que muita gente preferiu não votar?

JP – Depende muito. Temos vários fatores que podem ter desencadeado esse fato. Um deles, por exemplo, é porque o referendo é uma votação sem candidatos, o que pode ter feito com que muitos eleitores preferissem não ter ido às urnas. Às vezes, temos ausências por problemas de saúde, viagens, enfim, é difícil dizer uma causa específica.

 

INFONET – Quais as conseqüências para quem deixou de votar?

JP – A primeira delas é a multa de R$ 3,50. Mas não é apenas isso. Quem não votou, mesmo que pague o valor, não pode participar de concursos públicos, ser admitido em universidades públicas, retirar alguns documentos, entre outros.

 

INFONET – A senhora acredita que houve alguma razão especial para que Sergipe fosse o primeiro Estado do Nordeste a concluir a apuração das urnas?

JP – Bom, o TRE possui uma equipe excelente e o nosso serviço eleitoral é muito organizado. O tamanho do Estado, o número de habitantes e a tecnologia também ajudaram para que esse resultado fosse excelente.

 

INFONET – Das 59 urnas que falharam, qual o principal problema que causou a situação?

JP – Foram problemas basicamente técnicos. Não sei dizer exatamente quais foram, deu algum defeito nelas. Em Aracaju, a apuração manual foi causada devido a um problema na 1ª Zona.

 

INFONET – Na opinião da senhora, por que o ‘Não’ prevaleceu sobre o ‘Sim’?

JP – É difícil avaliar. Pode ser que as pessoas se sintam inseguras e achem que precisem se defender, por isso, preferiram não proibir a comercialização de armas e munição. Por outro lado, também acho que a segurança no país e no mundo está problemática.

 

Por Wilame Amorim Lima

Da Redação do Portal InfoNet

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais