Presos fazem reféns no Presídio do Santa Maria

0

Chegada do SAMU para atender a um dos reféns feridos (Fotos: Aldaci de Souza/Portal Infonet)

O clima é de tensão no Complexo Penitenciário Jacinto Filho (Compajaf). Presos da Ala D iniciaram uma rebelião [que ainda não se sabe os motivos] e fizeram seis funcionários da empresa que administra o presídio [Reviver], de reféns. Quatro ainda estão em poder dos rebelados. Um deles está ferido no braço. Mataram um cachorro rottweiler e familiares estão desesperados na porta, principalmente pelo fato de ter crianças dentro do presídio [estavam na visita].

O Portal Infonet obteve informações de dentro do presídio que atestam como tudo começou.

“No início da tarde, quando as celas estavam sendo fechadas, os presos de uma cela que permanecia aberta, renderam os funcionários da Reviver, mantendo seis como reféns. Dois deles conseguiram escapar e ficaram quatro em poder dos detentos, sendo que o agente da empresa Reviver, identificado como Anderson foi ferido no braço com uma arma artesanal, mas já foi atendido pelos profissionais do Samu e o curativo já foi feito. Eles não dizem os motivos da rebelião”, conta o rapaz que presenciou o início da rebelião, pedindo para não ser identificado.

Rebelião começou no início da tarde

Eles ocuparam as alas A, B, C e D, mas os agentes penitenciários do GOPE [Grupo de Operações Penitenciárias Especiais] conseguiram com que a rebelião não avançasse. Logo em seguida, chegaram equipes do GERB [Grupo Especial de Repressão e Busca], que estavam no conjunto Orlando Dantas e juntamente com os agentes, evitaram que a rebelião se alastrasse para as demais alas. Os presos já mataram um cachorro e um dos reféns é exatamente o funcionário da Reviver, que cuida dos cachorros. É verdade sim que tem dezenas de visitantes agora dentro do Compajaf, inclusive crianças”, complementa acrescentando que paredes foram derrubadas.

Sejuc

O secretário de Estado da Justiça, Walter Pereira está no interior, mas no local, o assessor de Comunicação Social da Sejuc, Marinho Tiba, passa as informações para a imprensa, que não foi liberada a ultrapassar o isolamento feito por dezenas de policiais.

Policiais fizeram o isolamento da área

Helicóptero do GTA no local

Cavalaria subindo o morro

Ivanice aguardava informações do sobrinho

“Ainda não temos nomes. São quatro reféns, um deles está sendo atendido pelo Samu com um ferimento no braço. A rebelião está apenas na Ala D e começou pouco antes da visita no momento da triagem. Eles mataram um cachorro e o comandante da Polícia Militar, coronel Iunes, assim como o negociador Marcos Carvalho estão no local tentando a liberação do reféns. Por questões de segurança, tanto os familiares como os profissionais da imprensa não podem ficar na guarita. Quando eu tiver mais informações, retorno”, ressalta Marinho Tiba.

Policiais da Radiopatrulha, da Choque, do Comando de Operações Especiais (COE), do GTA e da Cavalaria estão no Compajaf.

Angústia

Do lado de fora, o número de familiares cresce em busca de notícias tanto dos presos, quanto de parentes que estão fazendo visitas. "Minhas sobrinhas estão lá dentro. Eu vim de madrugada pegar a senha para meus tios e minhas sobrinhas que vieram de Itabaiana visitar outro tio meu. Estou desesperada porque não me deixam entrar", lamentava uma mulher sem querer ser fotografada.

"Meu sobrinho está preso há seis meses aqui no Compajaf acusado de roubo de notebooks. Eu soube da rebelião por uma vizinha e corri pra cá. Mas aqui ninguém vem dar informações. É um desespero", completa Ivanice Alves.

Por volta das 16h30, os presos exigiram a presença dos cinegrafistas. Acabaram de entrar no presídio os repórteres-cinematográficos da TV Atalaia, TV Sergipe e da TV Aperipê. A polícia acredita estar perto do desfecho da rebelião no Compajaf, que abriga atualmente 450 presos.

Por volta das 19h30, as negociações foram suspensas e deverão ser retomadas neste domingo, 18. Nenhum refém foi liberado e os mais de 120 visiantes continuam nas dependências do presídio.

Por Aldaci de Souza

* A matéria foi atualizada às 20h03 para acréscimo de informações sobre a suspensão das negociações.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais