Prisão de sargento pode ser revogada

0

Sargento continua preso no presídio militar / Foto: Arquivo Portal Infonet

A prisão do sargento da PM, Ataíde Mendonça, deverá ser revogada nesta sexta-feira, 04. Essa é a expectativa de familiares e amigos da corporação que estão indignados com a forma com que o sargento foi preso.

O sargento da PM, Ataíde Mendonça dos Santos, foi preso por ter se recusado a fazer o policiamento do presídio do município de Nossa Senhora da Gloria.O fato aconteceu na manhã da última quarta-feira, 02, quando o sargento recebeu ordem do major Antônio para fazer o policiamento do Presídio Regional Senador Leite Neto.

Segundo o sargento Vieira, representante da caixa beneficente da polícia militar, o sargento Ataíde foi preso porque se recusou a fazer o policiamento no presídio Senador Leite Neto, localizado em Nossa Senhora da Gloria.

“O sargento é um polícia de boa conduta, nunca se envolveu com nenhum crime, ele se recusou a praticar o desvio de função. O sargento não se recusou a fazer o policiamento ostensivo, mas disse que não faria esse ato que é uma ilegalidade”, esclarece Vieira.

O advogado Igor Gonçalves que acompanha o caso disse que já enviou o pedido de revogação da prisão do sargento e espera que seja julgado nesta sexta-feira, 04. “O pedido de revogação está para ser julgado pelo Juiz Diógenes da sexta vara criminal. Acredito que ele possa acontecer hoje para que o sargento não passe o final de semana na prisão”, diz.

O advogado também esclareceu alguns pontos sobre a prisão. “O sargento foi preso em flagrante por ordem de insubordinação, o que é previsto que aconteça no código penal militar. A legalidade da prisão não se discute, mas acredito que o major não tenha competência para fazer esse ato, porque não existe nenhum ato publicado que diga que os representantes das companhias poderiam remanejar os militares para presídios”, esclarece.

Por Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais