Produtores desesperados em Telha

0

Barreira destruída pela força do rio
Há um mês as chuvas não param de causar estragos em Sergipe e na divisa entre as cidades de Telha e Cedro do São João o prejuízo foi milionário. A forte chuva do final de semana fez ceder uma barreira de terra que separava os perímetros irrigados do rio Jacaré e destruiu o cultivo de arroz na localidade e fez com que os piscicultores perdessem juntos mais de um milhão de peixes.

Nenhuma casa na região foi atingida nem foram registrados feridos. O que ficou machucado mesmo foi o bolso de mais de 300 produtores como o rizicultor Carlos Feitosa. “Só eu perdi mais de 400 sacos de arroz que já tavam [sic] prontinhos pra colher e vender depois. Foi R$ 8 mil de prejuízo e hoje eu tenho

Seu Carlos lamenta o prejuízo
umas duplicatas para pagar e não sei como”, conta ele, acrescentando que todo o dinheiro que tinha estava investido ali.

A situação é semelhante com Iran Santos. Ele investiu na criação de peixes boa parte do que ganhou em anos de trabalho e disse não saber o que fazer da vida agora que suas 25 mil espécies se misturaram com os peixes de outros produtores e com a água suja do rio Jacaré.

A área do perímetro irrigado em Telha delimitava áreas para que cada um dos mais de 300 produtores cultivassem peixe e/ou arroz. Com o deslizamento da barreira de terra, construída

Iran revoltado com o descaso
de forma improvisada para que a água do rio não invadisse a região, o arroz prestes a ser comercializado foi perdido e os milhões de peixes misturados.

Segundo os moradores antigos do lugar, esse foi o maior prejuízo dos cultivadores locais desde 1979, ano em que catástrofe semelhante aconteceu. Para eles, houve negligência da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e do poder público municipal.

 “Uma semana antes choveu bastante, todos achávamos que iria acontecer uma tragédias, mas a água do rio não conseguiu invadir. Procuramos a Codevasf e o prefeito da cidade para

Comunidade precisa conviver com água
que alguém pudesse aumentar a barreira de terra. Ninguém fez nada e aconteceu o que vocês estão vendo”, disse Iran, apoiado por outros produtores que estavam com ele.

Procurado pelo Portal Infonet, o prefeito do município, Éris de Melo, disse que ninguém procurou a prefeitura, mas toda a estrutura que a prefeitura possuía foi disponibilizada. “Coloquei trator, uma retro escavadeira, trabalhadores, mas só isso não é suficiente para solucionar um problema desse porte”, fala. Ele ainda revela que também é produtor e teve um prejuízo de R$ 70 mil.

Éris conta ainda que a ameaça na estrutura da área do

Ponte na rodovia Marinete Alves (Fotos: Portal Infonet)
perímetro irrigado foi informada por duas vezes ao Governo do Estado, mas nada foi feito. O prefeito acredita que o maior culpado pelo ocorrido é a Codevasf, cuja assessoria também foi procurada pelo Portal Infonet, mas não foi localizada.

A chuva do último fim de semana fez o nível do rio Jacaré subir tanto que já ameaça a estrutura de uma ponte situada na rodovia Marinete Alves, que liga Cedro à Telha.

Por Glauco Vinícius

Comentários