Quilombolas cobram conclusão de projeto da Barra

0
Quilombolas se reune com Governo na Adema (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

Lideranças da comunidade quilombola Portal da Barra se reuniram nesta terça-feira, 2, com representantes do Governo do Estado para cobrar finalização do projeto de urbanização e a respectiva emissão de licença ambiental para a construção de mais de 150 casas populares para atender àquela comunidade.

Na segunda-feira, 1º, a comunidade realizou protesto contra a morosidade para conclusão do projeto e interditou a ponte sobre o rio Japaratuba que interliga dos municípios de Barra dos Coqueiros e Pirambu.

Nesta terça, os representantes da comunidade foram recepcionados na Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) e também na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano (Sedurb). Em ambas as esferas, eles ouviram as justificativas dos representantes do governo, que deixaram claro que aquela obra é prioritária para o Poder Executivo.

A diretora técnica da Adema, Ana Tereza Flores Paim de Almeida, informou que o projeto original teve que ser aprimorado para atender às exigências legais e informou que a Adema resistiu a emitir a licença ambiental em decorrência de um equívoco contido no projeto original que indicava um local diferente do estabelecimento para a execução da obra. A diretora técnica fez os esclarecimentos e deixou claro que o projeto teve que retornar à Sedurb para as devidas correções.

Ana Tereza: projeto prioritário para o Governo

Ao ouvir as explicações da Adema, o ouvidor geral do município da Barra dos Coqueiros, Edson Aparecido dos Santos, se colocou à disposição para intermediar uma reunião com a equipe da Sedurb. Reunião que aconteceu no final da manhã. Às lideranças, a equipe técnica da Sedurb informou que o projeto está praticamente concluído e que nos próximos dias o enviará para avaliação da Adema para a emissão da licença ambiental.

Os quilombolas ficaram satisfeitos, em parte. As lideranças prometem buscar apoio do Ministério Público para garantir que os prazos da obra sejam efetivamente cumpridos. O pescador Robério Manoel da Silva, presidente da Associação do Território da Comunidade Remanescente Quilombola do Portal da Barra, informou que a comunidade está sofrendo consequências danosas com a morosidade do governo e relatou que alguns imóveis já começaram a sofrer avarias em decorrência da ausência do governo. “Não podemos mais continuar com este sofrimento”, ressalta o pescador.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais