Reunião do MP com panificações propõe alternativas energéticas

0

Na manhã de hoje, 16, aconteceu a audiência pública que discutiu alternativas energéticas para as panificações de Sergipe. O foco da questão foi a apresentação da proposta da Sergas para mudança do combustível vegetal para GNC (Gás Natural Veicular) e a determinação das próximas ações da comissão do meio ambiente. Estavam presentes representantes do Conselho de Meio Ambiente (CMA), da Adema, Sebrae, Senai e Sindicato das Panificações.

O consultor de negócios e engenharia da Sergas, Juraci Lima, fez uma exposição dos procedimentos feitos para a adaptação dos estabelecimentos ao abastecimento de gás natural. “Uma padaria de médio porte em Aracaju gastaria no máximo R$5 mil para a mudança, e teria uma economia inicial de 38% em comparação ao GLP (gás de cozinha)”, comentou Juraci.

Os principais questionamentos dos presentes foi quanto à efetiva economia que iria se fazer, e o que o gás na sua queima leva ao meio ambiente. “As principais vantagens do GN são a segurança, a praticidade, e a não-poluição, se queimado de forma adequada. Além do fornecimento contínuo, economia de espaço dentro do ambiente, e aproveitamento total do combustível”, respondeu.

De acordo com o Termo final, dois prosseguimentos foram dados ao caso. Ficou ajustado que os órgãos relacionados se reunirão para discutir os parâmetros técnicos do projeto da Sergas, visualizando que é uma das alternativas energéticas. O outro ponto é a realização de um diagnóstico da atual situação  das panificações na grande Aracaju, que ficou sob responsabilidade do Sebrae.

Matérias Relacionadas

Adema e MP discutem alternativas para poluição

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais