Jogos de cartas: Magic ganha representatividade feminina em Aracaju

0
O Magic traz problemas onde os jogadores devem criar estratégias para sair de cada situação (Fotos: Multiverso Game Café)

Encontros e torneios de jogos de cartas, que já são comuns em Aracaju, estão sendo cada vez mais frequentados por mulheres. Dispostas a aprender e, inclusive, a competir, elas seguem quebrando um cenário de preconceito e assumem papéis de destaque em partidas de Magic.

O desafio do jogo é criar estratégias por meio da interpretação de cartas para ganhar pontos e tirar pontos da vida do adversário, como explica a jogadora Thais Soares. “Com mundos e personagens muitas vezes complexos para alguns, o Magic é um jogo com textos e regras que podem seguir um viés competitivo em torneios”, diz.

Repleto de desafios em cartas que podem trazer informações redigidas em inglês, o jogo surgiu na década de 90 e sempre teve protagonismo masculino. Como proprietária de uma cafeteria onde acontecem os principais encontros e torneios da cidade, Thais conta que ultimamente a presença das mulheres é cada vez maior.

Magic era jogado predominantemente por homens (Foto: Portal Infonet)

“Tinham pouquíssimas meninas jogando e geralmente a grande parte delas eram levadas por seus namorados para comer na cafeteria, enquanto esperavam eles jogarem com a ideia de que mulher não joga, e nem é competitiva”, ressalta Thais. O espaço ensina mulheres a jogar e conta com eventos semanais, numa programação que varia desde partidas simples a encontros regionais com premiações.

Com um público numa faixa etária entre 19 e 40 anos, o Café passou a ser frequentado por grupos de mulheres que, juntas, aprendem a jogar.  “A gente começou a treinar as meninas e quebramos um pouco do preconceito de que menina não joga e não sabe nada sobre jogos. Para que elas possam se sentir a vontade para começar fazemos encontros, chamamos para jogar e nem sempre precisamos ser competitivas”, afirma Thais.

Confira programação do evento que ocorre no próximo fim de semana.

por Juliana Melo e 

 

Comentários