Secretário desmente acordo entre João e Lula

0

A Secretaria de Estado da Comunicação, representada por Carlos Batalha, desmentiu que haja qualquer acordo político entre João Alves Filho e o Governo Federal. Segundo Batalha, o que existe é um relacionamento administrativo normal, deixando de lado toda e qualquer questão política. De acordo com informações do Governo do Estado, o governador João Alves Filho foi e continuará sendo um forte opositor da política do governo Lula. O secretário explicou que o que houve não foi um repasse de verbas, mas um empréstimo que está sendo feito pela administração estadual. Já para o senador Valadares, não faz muita diferença se o que houve foi um repasse ou um empréstimo, uma vez que, segundo ele, de qualquer forma, ambos precisam da intervenção do Governo Federal para serem liberados: “Financiamento da Caixa Econômica é feito através do Governo Federal. Isso significa que para que haja entrada do dinheiro, é preciso que o governo determine a liberação do recurso. Isso é empréstimo privilegiado”. O texto abaixo foi retirado do site da agência do Governo do Estado e contém, segundo a Secretaria de Comunicação, os números corretos: Adutora – Os números publicados na imprensa carregam um equívoco imperdoável: apontam empréstimos que o Estado está contraindo – e terá que pagar – como sendo repasses do governo federal. É o caso da adutora do São Francisco. Para executar a obra, no valor total de R$ 94 milhões, o governo estadual contraiu empréstimo junto à Caixa Econômica Federal. Desse total, até agora não chegou um centavo. Barragem – Publicou-se que o governo federal repassou R$ 54 milhões para a barragem do Piauitinga. Outro erro. Na verdade, o valor total do convênio com o Próàgua/Semiárido é de R$ 21,3 milhões e foi assinado em 2.000, no governo de Fernando Henrique Cardoso. No período de janeiro de 2003 a julho de 2004, foram repassados para a obra apenas R$ 5,9 milhões. Saúde – Noticiou-se que Brasília transferiu R$ 10 milhões para a Saúde. Mais uma incorreção. O fato é que o convênio para reforma do Hospital João Alves, no valor de R$ 5,5 milhões, foi assinado em dezembro do ano passado e, até agora, foram repassados apenas R$ 1,1 milhão. Recentemente, foi assinado um segundo convênio, no valor de R$ 5 milhões, mas até o momento o Estado não viu a cor do dinheiro. Cultura – Sustentou-se que o governo federal repassou R$ 10 milhões para a Cultura. Nada disso. O que existe, na realidade, é um convênio neste valor assinado com o Ministério da Cultura para obras de restauração nas cidades históricas de São Cristóvão e Laranjeiras (Projeto Monumenta). O detalhe é que até agora recurso nenhum chegou a Sergipe. E mais: o convênio deve-se sobretudo à amizade pessoal do governador de Sergipe com o ministro Gilberto Gil. Jacaré-Curituba – Destacou-se ainda que governo Lula repassou R$ 7,5 milhões para o projeto Jacaré-Curituba. A informação correta é que esses recursos são oriundos das emendas parlamentares de Sergipe ao Orçamento Geral da União. Cabe à União, por força constitucional, liberar os recursos para uma obra que se arrasta há uma década e ainda não foi concluída. Políticos especulam que João Alves estaria se aliando ao PT

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais