Seis barracos demolidos no Marivan

0

Barracos derrubados estavam em área de risco (Fotos: Portal Infonet)
Na manhã desta quinta-feira, 11, moradores do loteamento Marivan, bairro Santa Maria, tiveram seus barracos derrubados após uma ação judicial concedida à Petrobras. A retirada ocorreu sob policiamento do Batalhão de Choque (BPChq) e inspeção da equipe técnica da empresa. Ao todo, seis casebres que estavam em área de risco foram demolidos por dois tratores.

O gerente de comunicação da Petrobras, Luiz Roberto Dantas, explicou que os barracos se encontravam logo abaixo da instalação elétrica da empresa. “Tratam-se de fios de alta tensão, por isso as casas que não respeitaram o limite de 15 metros de distância foram demolidas”, explicou. Ele ainda ressaltou que a ação não foi surpresa para os moradores, visto que houve um aviso prévio há cerca de um mês. Luiz Roberto lembrou que outra demolição ocorrerá no dia 22 nas casas de alvenaria situadas perto do Tecarmo.

Moradores não protestaram, pois já haviam sido notificados
A dona de casa Marinete Santos não sabe qual será seu destino e diz estar com sentimento de desolação, já que ela e seu filho não têm para onde ir. “Eles chegaram por volta das 8h e disseram para eu retirar minhas coisas, pois meu barraco seria demolido. Não tive outra opção e acabei levando tudo para a casa de minha vizinha”, contou a dona de cas, confirmando ter recebido o aviso emitido pela Petrobras há um mês. “Eu sabia que seria despejada. Fui ontem à Prefeitura, pois minha casa está cadastrada e eles me confirmaram que ela seria derrubada do mesmo jeito”, lamentou.

Já Josefa Maria dos Santos contou que não sabe o que ocorrerá daqui para frente, já que dois de seus filhos tiveram o barraco destruído. “Meu filho está trabalhando agora e não pôde nem estar aqui para ver. Ele tem oito filhos e não tem condições de comprar um terreno, por isso veio para cá”.

Luiz Roberto diz que novos barracos serão derrubados na área do Tecarmo
Josefa também afirmou que não entendeu o porquê da presença da polícia no local. “Estamos em paz, não entendo para que tanta polícia”, questionou a dona de casa que também afirmou ter ido no dia anterior ao Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da Prefeitura sem consguri apoio.

Para manutenção de ordem no local, 80 policiais do BPChq foram enviados para a ação. Durante a operação, eles ficaram a todo o momento dentro do ônibus da corporação. “Felizmente nossos homens ficaram apenas em alerta já que tudo está ocorrendo de maneira pacífica. Até agora não houve nenhuma manifestação dos populares”, ressaltou o tenente-coronel da Policia Militar, Adolfo Menezes.

Comentários