Sejuc continua monitorando internos com sintomas do coronavírus

0
Os resultados dos exames ainda não foram concluídos (Foto: arquivo/ Portal Infonet)

Os quatro internos do sistema prisional de Sergipe, que apresentaram sintomas de gripe com quadro de febre, permanecem monitorados. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc), os quatro continuam sendo assistidos pela equipe da Secretaria de Estado da Saúde (SES), mas os resultados dos exames laboratoriais ainda não foram concluídos para descartar ou atestar os casos como infecção decorrente do coronavírus, o COVID-19.

A assessoria da Sejuc informa que a ala onde os detentos estão custodiados permanece isolada e todos passam bem, já sem sintomas da doença. Conforme a assessoria de imprensa da Sejuc, é comum ocorrer registro de presos doentes, com simples gripe e até mesmo em situações mais complexas como pneumonia, tuberculose e outros problemas respiratórios. Os casos, conforme a assessoria, são corriqueiramente tratados pelas equipes especializadas.

Diante da proliferação do coronavírus, a Sejuc adotou alguns procedimentos, inclusive suspendendo as visitas, sejam elas familiares, sociais, íntimas, religiosas e até dos advogados que atuam na defesa dos presidiários. O advogado só poderá visitar os clientes em casos excepcionais, regulamentados em portarias específicas instituídas pela Sejuc.

A Sejuc informa que reservou uma das unidades prisionais que funcionará como porta de entrada ao sistema prisional em Sergipe. Medida para que seja mantido o controle, visando a saúde de todas as pessoas ligadas à Sejuc. Em outras unidades, está proibido o acesso ao sistema.

No sistema, o Complexo Peniteniciário Jacinto Filho foi definido como porta de entrada. Aquela unidade foi escolhida por possuir um corpo clínico responsável pela avaliação dos internos. Por outro lado, os detentos também estão proibidos de sair das unidades para realizar consultas médicas e tratamento de saúde, que não sejam classificados como extremamente necessários.

Mas o atendimento está sendo assegurado nas próprias unidades prisionais por equipes da Secretaria de Estado da Saúde. Cerca de 6 mil unidades de kits de proteção individual estão sendo distribuídas entre os funcionários e servidores das unidades prisionais, aumentando o período do banho de sol dos detentos como forma de barrar a disseminação do coronavírus.

Por Cassia Santana,
com informações da Ascom da Sejuc

Comentários