Semarh abre Semana da Água com público expressivo

0

(Foto: Ascom Semarh)

Com o tema Águas Azuis-Cidades Verdes, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Genival Nunes Silva, abriu na manhã desta terça-feira, 19 de março, no auditório da Codise, a Semana da Água de Sergipe. Destacada pela realização do VI Encontro de Recursos Hídricos, o evento promove importantes cenários de discussões em torno do tema, a qual engloba os problemas dos centros urbanos relacionados ao sistema de drenagem, esgoto, resíduos sólidos e saneamento.

Crítico, o secretário Genival Nunes abriu o evento protestando contra os crimes ambientais cometidos em matas ciliares e rios. Disse que irá tratar com muito mais rigor essas ocorrências no Estado, a qual considerou atitude leviana diante do agravo. “Estamos no período de seca. A valoração da água é semelhante à perda de alguém que gostamos. Muitas vezes só é dado devido valor quando não existe mais”.

Genival se posicionou a favor dos vetos ocorridos no novo Código Florestal, “evitando maiores danos já causados ao meio ambiente”. Citou o posicionamento dos municípios frente às questões ambientais onde, segundo ele, eclodem os maiores problemas de infrações ambientais. O secretário encerrou sua fala fazendo menção aos prêmios nacionais contemplados em concurso da Agência Nacional de Águas, a ANA. Na ocasião, o Governo do Estado ficou em primeiro lugar nas duas categorias que concorreu: Governo e Comitê de Bacias.

Após apresentação do Coral Canto das Águas, da DESO, regido pelo maestro Sérgio Teles, o evento prosseguiu com a entrega de certificados de participação aos integrantes da Unidade de Preparação do Projeto Águas de Sergipe (UPP). O Águas de Sergipe é um projeto que irá beneficiar a revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe.

Programação

Presente no evento, a secretária de Estado do Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Lucia Fálcon, prestigiou as discussões em torno da Água proferindo palestra sobre a Gestão Integrada das Águas Urbanas. Destacou situações pontos positivos e negativos incutidos no novo paradigma da gestão integrada. “É mais eficaz, eficiente, sustentável e viável se compreendida como investimento de retorno no longo prazo”. Quanto ao motivo de não fazer citou modelos de gestão e planejamento defasados.

A palestra da secretária Lucia Fálcon foi reforçada com palestra apresentada pelo secretário Genival Nunes. Durante seu momento de explanação, o secretário falou sobre “Aracaju e o Desenvolvimento Sustentável”, onde destacou como ponto clímax do desenvolvimento sustentável o próprio gerenciamento integrado das águas urbanas, que estão diretamente ligados à drenagem urbana, abastecimento de água, resíduos sólidos e esgotamento sanitário.

As duas apresentações foram mediadas pelo superintendente de Recursos Hídricos da Semarh, Ailton Rocha, e pelo secretário de Meio Ambiente do município de Aracaju, Eduardo Matos. Como avaliador das apresentações, o secretário municipal considerou importante a gestão compartilhada para o bom desenvolvimento sustentável, “embora essa gestão efetivamente ainda não ocorra entre alguns setores”, frisou, enfatizando que a criação da política municipal de meio ambiente para Aracaju. “Observo a necessidade de criação do plano de saneamento e do de resíduos sólidos, para se acoplar à política de meio ambiente do Estado”.

Presente também o evento, o ex-secretário de Estado da Semarh, deputado federal Marcio Macêdo. Em sua fala, Márcio revelou ganhos no Sistema de Meio Ambiente de Sergipe. “São muitos os feitos pelo Governo de Sergipe através da Semarh, a ponto de essas ações serem reconhecidas em matérias e prêmios com dimensão nacional. Posso exemplificar a criação de unidades de conservação, preservando mananciais e matas ciliares além da biodiversidade em geral, e ainda, o benefício vindo com o Sistema Integrado das Adutoras do Alto Sertão, Sertaneja e Semi-árido,  levando água de boa qualidade para o Sertão”, destacou Marcio.

Bastante prestigiada, a abertura da Semana da água contou com a presença de membros do comitê nacional de bacias hidrográficas, vindo dos Estados da Bahia, Alagoas, São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão e de Minas Gerais. Segundo o presidente geral do comitê nacional, Márcio Dantas, a água é responsável pela vida e a condição da formação de comitês. “Representa a voz do povo, da sociedade no processo de melhor gestão dessas águas”, frisou.

Fonte: Ascom Semarh

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais