Servidores do Ibama estão em greve por tempo indeterminado

0

Sergipe aderiu nesta quinta-feira, 8, á greve iniciada segunda-feira, 5
Os servidores do Ibama em Sergipe aderiram nesta quinta-feira, 8, à greve geral por tempo indeterminado deflagrada nacionalmente na última segunda-feira, 5, em luta pela reestruturação da carreira de Especialista em Meio Ambiente. A negociação, segundo a categoria, vem tramitando entre o Governo Federal e o conjunto de servidores desde 2002.

Estarão em funcionamento no Estado apenas as atividades de caráter essenciais e emergenciais como a manutenção de animais em Centro de Triagem de Animais Silvestre (Cetas) e Prevfogo, com a aprovação do comando de greve. O conjunto de servidores está organizando ações para a divulgação da greve, sensibilização da sociedade, ampliação do movimento para outras unidades do órgão no interior e a busca do apoio dos representantes políticos locais.

Reivindicações

A paralisação tem como pontos de reivindicação, ainda, assegurar condições para a manutenção dos seus quadros funcionais, visto que existe uma alta rotatividade de servidores, comprometendo a capacidade operacional das instituições na execução das suas atividades como licenças ambientais, fiscalização, repressão ao tráfico de animais silvestres, controle do desmatamento e gestão das áreas protegidas; garantir instrumentos para fixação e desenvolvimento dos servidores em áreas inóspitas e de difícil acesso, como é o caso das unidades do Ibama em Guajará-Mirim (RO) – fronteira com a Bolívia -, Tefé (AM), Itaituba e Gurupi (PA) entre ouros; criar condições para a capacitação, de forma a aumentar o número de servidores com doutorado, mestrado e especializações e assegurar a compensação financeira para os servidores que exercem as atividades risco, como as operações de fiscalização contra o desmatamento ilegal, a pesca predatória, etc.

A greve dos servidores do Ibama conta com a adesão, até agora, de 20 estados: Sergipe, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, Pará, Rondônia, Acre, Amapá, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Bahia e Distrito Federal.

Comentários