Servidores em greve ‘queimam’ vereadores

0

Camisas simbolizaram os 14 vereadores que votaram a favor do 1%
Professores, agentes de saúde, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e funcionários da administração geral do município de Aracaju fizeram mobilização nesta quinta-feira, 16, em frente à Câmara de Vereadores. Em meio a muitos protestos e gritos de “traidores” os servidores em greve “queimaram” simbolicamente os 14 vereadores que votaram a favor do reajuste de 1%.

“Este ato é para que esses vereadores tomem definitivamente vergonha e respeitem os trabalhadores”, afirmou Nivaldo Fernandes, presidente do Sepuma, que deflagrou greve no último dia 3. Em greve há 14 dias os enfermeiros também

Servidores levaram cartazes com fotos e dizeres como “traidores” e “fujões”
estiverem presentes ao ato, e de acordo com um dos diretores do sindicato da categoria, Fabrício Almeida, “vivemos numa cidade dita para todos em que o prefeito não privilegia os servidores públicos”.

Com diversas faixas e cartazes com fotos e dizeres como “Procura-se os fujões”, os grevistas ocuparam a frente da Câmara durante toda a manhã e os vereadores, alheios aos gritos de protestos, realizaram a sessão tranquilamente. No final da sessão apenas os vereadores que votaram contra o projeto de reajuste tiveram coragem de sair pela porta da frente.

Grevistas voltam a se reunir em caminhada na sexta-feira
Ilegalidade

Diante da ameaça do prefeito Edvaldo Nogueira que afirmou que irá pedir a ilegalidade da greve dos servidores municipais, a presidente do Sindipema afirmou que “ilegalidade é um reajuste diferenciado que foi dado para servidores e vereadores e secretários”, estes últimos tiveram reajuste de mais de 50%, enquanto os servidores apenas 1%. “Se o argumento dele é a crise está na hora dos vereadores devolverem os 53% para ser rateado com todos”, ressaltou.

O presidente do Sintasa, Augusto Couto, afirmou que se a paralisação for considerada ilegal, os servidores voltarão ao trabalho, “mas as mobilizações vão continuar”. Os servidores da saúde estão parados há 20 dias.

Nesta sexta-feira, 17, todas as categorias municipais em greve voltam a se reunir numa caminhada unificada que acontece a partir das 8h com concentração na Praça Camerino.  O objetivo é protestar e informar a população sobre os motivos das greves que paralisou boa parte dos serviços da administração municipal.

Por Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais