Sete homens invadem e assaltam indústria de cerâmica

0
Distrito Insdustrial em Socorro é conhecido por habitar diversas indústrias (foto ilustrativa: Ascom Sedetec)

Sete homens fortemente armados invadiram e assaltaram funcionários de uma indústria de cerâmica localizada no Distrito Industrial, no município de Nossa Senhora do Socorro, na madrugada desta sexta-feira, 10. Esta informação foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fabricação de Cerâmica do Estado de Sergipe (Sindiceram), Alexandre Delmondes.

O sindicalista informa que os assaltantes foram violentos ameaçando os funcionários e agredindo com o cabo da escopeta um dos trabalhadores. “Aproximadamente 40 trabalhadores estavam em seu turno e foram surpreendidos por volta de 1h da madrugada com a invasão de sete homens armados com escopeta e pistola”, conta.

Os trabalhadores informaram ao sindicato que eles invadiram o setor de Recursos Humanos da empresa, roubaram  pertences pessoais dos funcionários, a exemplo de dinheiro e celular, e depois, fugiram no veículo de um dos trabalhadores. Até o momento, não foi informado o que foi levado da empresa.

Alexandre reclama que o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) demorou a acreditar no assalto e o veículo do polícia chegou aproximadamente uma hora 

Fábrica foi instalada em Sergipe em 2011 (foto : Vieira Neto /ASN)

depois do registro da ocorrência. “Depois de uma hora a polícia não conseguiria pegar o ladrão mais lento. Apelo a SSP e ao prefeito padre Inaldo que amplie a segurança naquela área, pois os assaltos na via são constantes, mas a violência vem aumentando ao ponto de começarem a invadir as empresas. Essa indústria foi a primeira, mas se virar moda?”, indaga.

A equipe de jornalismo do Portal Infonet tentou entrar em contato com o Comandante do 5º Batalhão de Polícia Comunitária (5º BPCom), major Fábio Machado, que atende pela área, mas não obtivemos êxito.

Assim, ao procurar o Comandante do Policiamento Militar da Capital, tenente-coronel Vivaldy Cabral Santos, foi informado que não estava ciente do caso, mas que iria buscar informações.

Antecipando, o coronel solicitou que os funcionários da empresa entrassem em contato com a Ouvidoria do Ciosp e fizesse o registro da demora. “Assim, iremos abrir uma auditoria para investigar se houve a demora no atendimento, causas, e se for o caso, haverá punição”, ressalta.

A indústria de cerâmica também foi contactada por telefone, mas o funcionário que atendeu não falou sobre o assunto e não conseguimos encontrar o diretor da mesma em outro telefone. Por isso, não colocamos o nome da empresa, mas continuamos à disposição da mesma pelo email jornalismo@infonet.com.br ou telefone (79) 2106-8000.

Por Raquel Almeida

Comentários