Sintepav denuncia empresa em Laranjeiras

0

Quentinha servida aos trabalhadortes(Foto: Sintepav)
O Sindicado dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem de Sergipe (Sintepav), denuncia uma empresa responsável pela construção do viaduto no município de Laranjeiras.

De acordo com o assessor do Sintepav, Alexandre Delmondes, as refeições servidas aos trabalhadores são de péssima qualidade. “Estão sendo servidas quentinhas aos finais de semana com farofa, duas rodelas de mortadela e um ovo, sem contar que as mesmas são feitas na própria cantina da empresa, onde são embaladas por volta  das 16h e servidas ás 18h. Os funcionários ainda comem sem talheres, ou seja, com a mão”, reclama.

Ainda de acordo com Alexandre, durante a noite não é servida a ceia. “Essa alimentação das 18h é a única da noite, pois os trabalhadores só voltam a se alimentar ás 7h da manhã do dia seguinte”, acrescenta.

O assessor do sindicato ainda revelou que os controladores de tráfego, que trabalham durante a madrugada, também passam por dificuldades de alimentação. “Eles recebem uma garrafa de café sem leite e um pão com uma margarina de péssima qualidade ás 18h, e trabalham até as 7h da manhã sem receber mais nenhum tipo de alimentação”, afirma.

As denúncias feitas pelo sindicato dão conta que existe um galpão dentro do canteiro de obras, onde são guardadas tambores com produtos químicos. “Esses produtos são guardados dentro do canteiro e segundo os trabalhadores, ninguém pode perguntar que tipo de produto está sendo guardado ali, pois são ameaçados de demissão. Também nos foi relatado que a cantina pertence a esposa mestre de obras, o que  não permite nenhum tipo de reclamação”, explica.

Alexandre enfatiza que diante das denúncias dos trabalhadores, o sindicato irá oficializar um pedido de fiscalização, tanto para o Ministério Público do Trabalho como para a Superintendência Regional do Trabalho e Vigilância Sanitária.

A informação do sindicato é de que neste momento a representante da vigilãncia sanitária está no local realizando a primeira vistoria.

Empresa Responsável

No final da tarde desta terça-feira, 22, a equipe do Portal Infonet conseguiu contato com o engenheiro Ricardo Correia Gaspar, da empresa ‘ A Gaspar’, responsável pela obra do viaduto, que informou não ter conhecimento das denúncias. “Não temos oficialmente essa denúncia formulada, a única coisa que tivemos conhecimento foi que representantes do sindicato estiveram aqui no canteiro de obras e que deverão voltar amanhã [23]”, ressalta.

De acordo com o engenheiro, a alimentação dos trabalhadores da obra não é diferente dos demais funcionários. “Todos nós realizamos as refeições na mesma cantina e com a mesma comida e desconheço a ausência de feijão, arroz, carnes e saladas. Também nunca escutei nenhum tipo de reclamação por parte dos funcionários”, pontua.

Quando questionado em relação à alimentação servida durante os finais de semana, o engenheiro pontuou que houve uma mudança no cardápio no último final de semana. “Como o número de efetivo é menor durante o final de semana, o rapaz da cozinha mudou o cardápio até mesmo para eles não enjoarem, mas se não gostaram bastava  comunicar aqui, que a mudança seria feita”, pontua.

Em relação aos produtos que são armazenados no canteiro de obras, Ricardo ressaltou que se trata de aditivo para concreto e argamassa. “ Não existe nada de inflamável, inclusive todo produto é devidamente identificado. O nosso programa ambiental diz que esse tipo de produto tem que ser guardado em local aberto”, salienta.

Ricardo também explicou que a cantina não pertence a esposa do mestre de obras. “ A filha dele trabalha na cantina, como outras pessoas da região de Pedra  Branca. O pessoal da cantina chega 5 horas da manhã e preparam toda alimentação, ali mesmo. A comida é de ótima qualidade”, finaliza.

Por Alcione Martins

* A matéria voltou a ser alterada ás 18h27 para acréscimo de informação em relação a empresa responsável, já que o contato com a mesma só foi possível no final da tarde

*Obs:A matéria foi alterada às 12h15 para correção de informação. Anteriormente dissemos que a cantina pertencia a esposa do dono da empresa

Comentários