Sintepav paralisa obra da Torre

0

Trabalhadores sem equipamentos de segurança Foto: Arquivo Portal Infonet
As denúncias de trabalho escravo e outras diversas irregularidades em obras da Torre, mostradas em matéria exclusiva publicada pelo Portal Infonet no último dia 11 desse mês, culminaram em uma greve deflagada pelos trabalhadores e Sindicado dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem de Sergipe (Sintepav).

Na assembléia realizada na manhã desta quinta-feira, 18, na obra da empresa Torre Empreendimentos, que está sendo realizada no município de Capela, distante 67 km da capital sergipana, os trabalhadores decidiram pela greve.  

De acordo com o assessor do sindicato, Alexandre Delmondes, os trabalhadores não suportam o descaso da empresa. “A paralisação será por tempo indeterminado porque os trabalhadores não aguentam mais trabalhar sem nenhuma condição”, afirma Alexandre, salientando que, além das denúncias de trabalho escravo, existem

O assessor Alexandre Delmondes Foto:Arquivo Portal Infonet
denúncias de trabalho infantil.

“Os trabalhadores disseram que crianças estavam sendo utilizadas por uma firma terceirizada pela Torre para trabalhar plantando grama”, denuncia.

Conciliação

Nesta manhã, 18, o presidente do Sintepav, Albérico Santos Queiroz, protocolou na Delegacia Regional do Trabalho (DRT) um pedido de conciliação entre a empresa e o sindicato.

“Já protocolamos junto à DRT uma fiscalização de emergência e agora vamos pedir uma reunião de conciliação entre a Torre e o sindicato para que a empresa possa atender às reivindicações dos trabalhadores com relação à saúde do trabalhador, cesta básica, transporte, alojamento e fardamento”, afirma Albérico.

Albérico Queiroz explicou que chegou a se reunir por duas vezes com a empresa, mas nada foi resolvido. “Tivemos duas reuniões com Aline, a advogada da empresa, mas nada foi resolvido. Chegamos a marcar duas audiências de conciliação com a DRT em 07 de novembro de 2008 e no dia 20 de novembro também de 2008, mas a Torre não compareceu. Vamos tentar essa audiência, mas caso não haja acordo entre as duas partes vamos para um dissídio coletivo”, ressalta o presidente do Sintepav.   

Torre

Na manhã desta quinta-feira, 18, a equipe do Portal Infonet tentou contato com o engenheiro de segurança do trabalho da empresa, Genilson Vieira. Mas a informação é de que ele somente estaria na empresa no período da tarde.

A advogada da empresa também foi procurada, mas disse que não poderia falar sobre o assunto essa semana e que conversaria com os responsáveis pela empresa para poder dar um retorno. Mas até o fechamento desta matéria ninguém da Torre entrou em contato para prestar esclarecimentos sobre as denúncias do sindicato.

Comentários