Sobrevivente do acidente da Ponte diz que está viva graças ao cinto de segurança

0

Aline Góes, 22, foi a única sobrevivente do acidente que aconteceu na Ponte Aracaju-Barra no último sábado, 15. Aline diz que está viva primeiramente graças a Deus, e depois ao cinto de segurança, que manteve ela dentro do veículo. A jovem estava voltando da praia com a sua amiga Dayane Camilo Melo, 22, e dois amigos dela.

O carro, que estava em alta velocidade, escapou na curva da Ponte Aracaju-Barra, já perto do Bairro Industrial, e parou no canal. Dayane foi projetada para fora do carro e não sobreviveu ao impacto. Os dois outros ocupantes, Marcelo Roberto Leão Ferreira, 25, e Marcelo Alves de Melo, 24, também não resistiram à queda. Aline teve escoriações leves e um ferimento no ombro.

Dayane e os dois rapazes trabalhavam juntos numa loja de recarga de cartuchos em Aracaju. Aline diz que não lembra muito do que aconteceu. “Eu lembro que o carro saiu da ponte, e depois só me recordo de sair do carro sozinha, e ser atendida pela ambulância do Samu”, diz. A jovem lembra que o carro vinha em alta velocidade, e chegou a pensar que se houvesse algum acidente não sobreviveria.

“A Dayane também falou isso. No mesmo dia ela me perguntou se eu choraria quando ela morresse. Acho que era um aviso”, diz, emocionada com a perda da amiga.

Aline tem uma filha de dois anos, e diz que ia levar a garota com ela ao passeio. “Só que eu tive um mau pressentimento de última hora, e deixei ela na casa da minha irmã em Aracaju. Foi Deus que não permitiu que isso acontecesse”, desabafa. “Agora estou tentando voltar a minha vida normal. A vida não pára não é?”, conclui a sobrevivente. 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais