Soldado do exército foi agredido por policiais militares

0

Irmã do soldado diz que o jovem foi agredido física e verbalmente(Fotos:Portal Infonet)
Alexsandra Santos de Oliveira, irmã do soldado do exército identificado como Alexandro Santos, afirma que seu irmão foi espancado por um cabo e um soldado da Polícia Militar no último sábado, 21.

Indignada, Alexsandra conta que o irmão estava seguindo em direção a um supermercado do conjunto João Alves, em Nossa Senhora do Socorro, na tarde do sábado, por volta das 15h30, quando quatro policiais fizeram uma abordagem e o jovem não parou de imediato. “Ele não tinha percebido que os policiais tinham solicitado a parada da moto, então continuou seguindo. Só depois que ouviu os disparos foi que Alexandro parou a moto”, explica a irmã da vítima.

Alexsandra também disse que no momento em que seu irmão parou a moto começaram as agressões. “Assim que ele desceu da moto, dois dos quatro policiais começaram as agressões, chamando-o de “neguinho vagabundo” e batendo sem ao menos deixar que ele se identificasse”, relata.

Jovem pilotava moto quando foi abordado
Durante as agressões, uma jovem que presenciava a cena teria começado a filmar toda a ação, mas os policiais partiram de forma truculenta contra ela e impediram que a gravação continuasse. A família de Alexandro tentará entrar em contato com a jovem, na tentativa de conseguir algum registro da ocorrência.

Ainda segundo a irmã de Alexandro, o soldado foi levado até a 2° Companhia do 5° Batalhão, localizado no bairro Porto Dantas. “Durante o percurso meu irmão continuou sendo espancado e foi levado ao 5° batalhão, onde mandaram ficar deitado no chão do pátio”, acrescenta.

Agressores

Alexsandra ainda pontuou que as agressões sofridas pelo soldado não partiram de todos os policiais que estavam envolvidos na operação. “Apenas o cabo Bispo e o soldado André foram os responsáveis por essas agressões”, acusa.

Segundo o irmã do soldado do exército, o jovem agredido só foi liberado depois que o pai chegou no local. “Quando ele foi levado, um amigo teve aqui em casa e avisou ao meu pai, daí ele foi até lá e chegou na hora que meu irmão tava deitado no chão”, explica.

Alexandro voltou do Haiti na última quinta-feira
Alexsandra acrescenta que seu irmão não sofreu outras agressões dentro do batalhão porque seu pai também é militar. “A coisa só foi resolvida porque meu pai é tenente-coronel. Porque que levaram ele para o batalhão e não para a delegacia Plantonista? Porque colocaram ele deitado no pátio do batalhão? Acho que precisamos dessas respostas”, salienta.

Alexsandra explica que os policiais apreenderam os documentos do rapaz, além dos documentos da moto. “ Depois de tudo policiais tiveram aqui em casa para devolver os documentos que eles tinham apreendido e para pedir desculpas pelo que tinha acontecido”.

O soldado Alexandro já fez exame no hospital Nestor Piva e, segundo a família, o laudo será entregue na Corregedoria da PM, no Ministério Público Estadual (MP) e no Exército. Alexandro é um dos soldados do exército que estavam em missão de paz em Haiti e que chegou de viagem na última quinta-feira,19.

PM

De acordo como o assessor de comunicação da Polícia Militar, capitão Robson Donato, a família do soldado foi orientada a procurar a Ouvidoria da Polícia . “Eles devem registrar esse fato junto a ouvidoria e devem levar todos os documentos que eles já tem para que seja feita uma apuração nosentido de esclarecer todos os fatos”, explica.

O assessor frisa que quando o fato estiver oficializado a Corregedoria da polícia Militar irá ouvir os policiais. “A polícia irá tomar as devidas providências, mas até o momento ficamos sabendo do fato através da imprensa e precisamos do regsitro oficial”, conclui.

 

Por Alcione Martins e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais