SSP descarta vínculo de crime com atividade do policial

0
Carro abandonado no Parque dos Farois (Fotos: PM)

A Polícia Civil descarta a possibilidade do assassinato do policial civil Paulo Sérgio de Jesus, 58, estar relacionado à atividade profissional da vítima. De acordo com informações da delegada geral Katarina Feitosa, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) trabalha com a hipótese de latrocínio [roubo seguido de morte]. Além do veículo da vítima [um Logan de cor vermelha da SSP, que ficava à disposição do policial civil], os criminosos também levaram objetos pessoais e as armas do policial. O crime foi cometido com requintes de crueldade na madrugada do domingo, 4.

O carro da SSP, um Logan vermelho de placa QXX 8541, licença de Aracaju, foi localizado na manhã do domingo, 4, abandonado no Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro. No carro foram encontradas marcas de sangue e também o documento da vítima. O corpo do policial civil foi encontrado, posteriormente, dentro da residência dele na Barra dos Coqueiros, amarrado com várias perfurações provocadas por arma branca e, supõe-se, também que tenha sido alvejado por tiros, caracterizando um crime praticado com requintes de crueldade.

Há suspeita que os criminosos tenham trocado informações por meio de redes sociais, detalhe alvo da investigação que está sendo conduzida pela equipe do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope). Os detalhes, conforme a delegada geral, estão sendo mantidos em sigilo para não atrapalhar as investigações.

objetos encontrados dentro do carro

Momento do velório: comoção e revolta (Fotos: Portal Infonet)

Katarina Feitosa: latrocínio

Frederico Muricy: "camarada casa cheia"

O policial civil era chefe de custódia da 3ª Delegacia Metropolitana. O delegado Frederico Muricy, que lidera a equipe, está emocionalmente abalado e revelou que fez o último contato com o policial no final da tarde da sexta-feira, 2, quando encerrou o expediente na 3ª Delegacia Metropolitana. “Ele era um camarada casa cheia, alegrava muito o ambiente de trabalho, contando piadas, uma pessoa sempre alegre”, comentou.

Há suspeita que o crime tenha sido cometido na madrugada do domingo na Barra dos Coqueiros. A delegada geral Katarina Feitosa garante que a SSP não se acomodará enquanto não localizar e prender os responsáveis pelo crime.

Disque-denúncia

A comunidade pode dar contribuições para a elucidação do crime, transmitindo informações para o Disque Denúncia da SSP por meio de ligação telefônica, discando o número 181 [a ligação é gratuita e a identidade do informante será mantida em sigilo].

Por Cássia Santana

Comentários