Surfistas ajudarão bombeiros na prevenção de afogamentos

0
Surfistas aprendem noção de prevenção de afogamentos e salvamento (Fotos: CBMS)

Um total de 35 surfistas participam do Projeto

Essa foi a primeira etapa do curso teórico e as aulas práticas

Surfistas ajudarão o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) em ações de prevenção de afogamentos e salvamento. Um total de 35 surfistas participaram da 2ª edição do Projeto Surf-Salva nesta última sexta, 9, na Praia da Coroa do Meio. A ação, que foi promovida em parceria com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), é a primeira etapa do curso teórico e as aulas práticas.

Os bombeiros ensinaram os participantes do curso a realizarem, por exemplo, socorro usando a prancha, respiração boca-a-boca dentro da água e transporte da água para areia. Segundo o surfista José Rafael, foi interessante a experiência de aprender a resgatar alguém que esteja se afogando, com procedimentos corretos.

“Nós surfistas, que estamos diariamente no mar, temos mais possibilidade de nos deparar com uma cena de afogamento e de passar por um caso desse. O curso é importante para aprender a se portar diante de uma necessidade de salvamento, mas principalmente para prevenção, evitando acidentes de afogamento entre surfistas e banhistas”, disse.

O comandante do Grupamento Marítimo (Gmar) do CBMSE, coronel BM Hector Monteiro, explica que, além de ensinar o surfista a lidar em casos de princípio de afogamento, o projeto permite que ele seja um agente multiplicador, repassando para outros surfistas, amigos, familiares e banhistas informações sobre como evitar acidentes na água.

“Esses alunos serão nossos parceiros nos resgates de vítimas de afogamento. Eles estão aprendendo aqui como identificar e abordar uma vítima, além de tirá-la da água e prestar os primeiros socorros”.

De acordo com um dos instrutores do curso, cabo BM Glauco Fontenelle, é importante capacitar os surfistas quanto às ações de primeiros socorros em princípios de afogamento porque eles podem auxiliar no atendimento preliminar das ocorrências, até a chegada dos guarda-vidas.

“A maioria dos surfistas já presenciou algum afogamento e não agiu por medo no atendimento pós praia, que é quando eles chegam com a vítima na área de segurança. O curso possibilita que tenhamos um reforço no atendimento, o que seria a primeira resposta. O surfista está ali perto e já tem o objeto flutuante, que é a prancha. Isso vai facilitar muito nossa atuação nas praias de Aracaju”, diz.

Dados publicados neste ano, pela Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático, mostram que 17 brasileiros morrem afogados diariamente no país. A cada 84 minutos, um brasileiro morre afogado.

“É por isso que iniciativas como o Projeto Surf-Salva são bem-vindas para os guarda-vidas", ressalta o coronel Hector. Segundo ele, a próxima edição do curso está prevista para acontecer no mês de novembro, quando a Sobrasa realizará um Surf-Salva em âmbito nacional e Sergipe estará dentro da programação.

Com informações do CBMS

Comentários