Suspeito de assassinar morador de rua confessa autoria do crime

0
18º Distrito Policial de SP. (Foto: Google Street View)

A Polícia Civil de São Paulo concedeu uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 8, para detalhar a respeito da prisão de um homem que suspeito pela morte do sergipano Carlos Roberto Vieira da Silva, de 39 anos, que teve o corpo incendiado na Mooca em São Paulo.

De acordo com a polícia, o preso que também é morador de rua, confessou em depoimento que cometeu o crime após discutir com a vítima por causa de uma quantia em dinheiro, versão que ainda está em apuração por parte da Polícia Civil. “O suspeito acabou confessando que praticou a ação e foi reconhecido por testemunhas. Ele e a vítima tiveram uma desavença por motivos que ainda estamos apurando”, explicou o Delegado Helio Bressan, responsável pela 5ª Delegacia Seccional (Leste).
Durante diligências, a polícia conseguiu apreender um recipiente encontrado no local do crime, que foi enviado ao Instituto de Criminalística (IC) para perícia. Também foram apreendidas imagens de um circuito de segurança que flagraram a ação, o que auxiliou na identificação do autor e na solicitação da sua prisão temporária, acatada pela Justiça.
Sepultamento

Carlos Roberto é natural da Zona rural de Nossa Senhora da Glória, município distante 110 km da capital Aracaju. O velório aconteceu na manhã desta quarta, em um assentamento localizado no município. O sepultamento ocorreu ainda no final da manhã desta quarta-feira, 8, em um cemitério do Povoado Lagoa Bonita, no município de Nossa Senhora da Glória.

De acordo com um morador da região, o gloriense costumava passar temporadas em São Paulo, onde trabalhava como catador de recicláveis. Há aproximadamente um ano ele teria saído do município do Alto Sertão de Sergipe com o mesmo intuito e, desde então, vivia como morador de rua.

Com informações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo 

Comentários