Terceiro envolvido na morte do músico da cantora Adalgiza é preso

O guitarrista teve a motocicleta roubada após ser morto a tiros em Socorro (Foto: arquivo pessoal).

O terceiro suspeito de envolvimento no latrocínio contra a vítima Ronnyelton Pinheiro Ribeiro, que era guitarrista da “Banda de Adalgisa”, foi preso. A informação foi divulgada neste sábado, 26, pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O crime aconteceu em junho deste ano, por volta das 21 horas, no Conjunto Albano Franco, em Nossa Senhora do Socorro.

Policiais militares do Comando do Policiamento Especializado, Batalhão de Choque e Comando do Policiamento da Capital, parceiros do DHPP na repressão aos crimes contra à  vida, cumpriram o mandado de prisão. Prontamente, o suspeito foi preso e conduzido para o DHPP, onde foi interrogado.

“Os três suspeitos do envolvimento no crime confessaram a prática do crime e foi apurado que dois deles participaram diretamente da execução da vítima e um terceiro, fazendo uso de motocicleta, participou do delito guiando os executores ao local do crime” informou o DHPP.

Ainda segundo o DHPP, com os interrogatórios, ficou constatado que durante a prática do delito, os homens decidiram subtrair os bens da vítima, de forma que serão indiciados pela prática de latrocínio, cuja pena é maior que a do homicídio. Ainda, poderão ser condenados à pena de 20 a 30 anos de prisão.

O crime

O terceiro suspeito foi encaminhado para unidade policial da capital, onde permanecerá à disposição da Justiça. Na ocasião do crime, a vítima se dirigiu ao conjunto Albano Franco e parou a sua motocicleta na via pública, onde passou a fazer uso de aparelho celular, momento em que dois criminosos se aproximaram da vítima e um deles, de posse de um revólver, passou a efetuar disparos contra ela.

Após receber os primeiros disparos, a vítima caiu no chão e o outro criminoso passou a subtrair os seus objetos, chegando a puxá-la de cima da moto. Em seguida, os criminosos fugiram do local levando a moto e subtraindo outros pertences da vítima.

por João Paulo Schneider

Com informações do DHPP

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais