Termina prazo para empresas de rádio táxi

0

15 empresas de rádio táxi atuam na capital
Nesta quinta-feira, 29, terminou o prazo concedido pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) para que sete empresas de rádio táxi que atuam na capital regularizem sua situação junto a diversos órgãos, ou pelo menos informem à SMTT sobre o que estaria impedindo a regulamentação.

De acordo com o presidente das empresas de rádio táxi unificadas de Sergipe, Gerson Ferreira da Silva, em conversa recente com as empresas o superintendente Antônio Samarone teria se comprometido em ajudar a resolver a situação.

“Samarone foi muito sensato e pediu a cada uma das empresas que apresentasse sua situação, o que estaria impedindo a regulamentação junto à Anatel, Receita Federal, FGTS, INSS, dentre outros. De posse dos requerimentos que mostram as necessidades de cada uma das empresas, Samarone prometeu intermediar junto aos órgãos para que a regularização seja efetivada”, conta o presidente.

Gerson Ferreira, presidente das empresas unificadas de rádio táxi
Ainda segundo o presidente da associação, que engloba 11 das 15 firmas de rádio táxi de Aracaju, algumas companhias de sua associação já estão 100% regularizadas. “Das 11 empresas da associação, seis já estão com a situação regular, pois já apresentaram toda a documentação necessária à SMTT. As outra cinco ainda não estão regulares, mas já enviaram ao órgão os protocolos solicitados por Samarone, onde consta a situação de cada uma”, diz Gerson Ferreira. Segundo ele, as causas pela situação irregular são diferentes para cada empresa.

De acordo com a assessoria de comunicação da SMTT, o órgão tem interesse em colaborar com as empresas e por isso solicitou saber oficialmente sobre o que está faltando para a regulamentação. No entanto, aquelas que não entregaram até esta quinta-feira o protocolo solicitado pela SMTT, sofrerão uma punição a partir da próxima semana.

“Os protocolos enviados à SMTT pelas empresas serão avaliados pela Coordenadoria de Taxi, que faz parte da Diretoria de Transporte Público da SMTT. Caso alguma empresa não tenha enviado a documentação solicitada, a partir de terça-feira estaremos retirando o adesivo dos carros e solicitaremos que a Anatel retire os rádios. Os taxistas dessa empresa poderão atuar como taxis-bandeiras”, diz o assessor da SMTT, Jairo Alves. “O objetivo não é punir os taxistas, e sim a empresas irregulares”, completa.

Comentários