Terminus: investigados teriam agido com terror para matar rivais

Joneci e Gilmar morreram em confronto na região Sul (Fotos: Ascom SSP/SE)

As investigações, que culminaram com a morte de três suspeitos e a prisão de outros dois acusados, foram iniciadas há cerca de quatro meses quando a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) identificou o aumento de incidência de crimes na região Sul, especialmente quanto ao número de homicídios. A delegada-geral da SSP, Katarina Feitosa, explica que o grupo, alvo da Operação Terminus, faz parte de uma associação criminosa, que age com violência, disseminava terror nas comunidades com forte influência no crime de pistolagem para matar integrantes de quadrilhas rivais, na disputa pelo controle do comércio de drogas.

A essa suposta quadrilha é atribuída a autoria de vários homicídios que ocorreram na região Sul, na divida entre os estados de Sergipe e Bahia, e que ainda estão sendo investigados pela Polícia Civil. Nessa operação, realizada na manhã desta quarta-feira, 5, foram cumpridos cinco mandados de prisão. Em confronto, três alvos dos mandados judiciais morreram: Joneci Goes de Oliveira e Tairone dos Santos Silva, atingidos em Cristinápolis, e Gilmar Santos Silva, em Tomar do Geru. Já Robson Santos Santiago e José de Jesus estão presos.

Katarina Feitosa: SSP continua investigando ramificações (Foto: Portal Infonet)

De acordo com a delegada-geral Katarina Feitosa, a Polícia Civil continua a investigação para identificar supostas ramificações desse grupo, que, além de ter forte atuação no crime de pistolagem, também tem envolvimento com o tráfico de drogas e roubos. Nessa operação, uma quantidade de cocaína e maconha foi apreendida. O volume desses produtos ainda está sendo pesado, segundo a SSP.

Sete armas de fogo foram apreendidas durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Entre as armas, estão duas pistolas ponto 40, de uso restrito das forças policiais, três pistolas de 9 mm e dois revólveres de calibre 38. Também foram apreendidos dois veículos, cuja origem continua sendo investigada, e uma quantidade de dinheiro em espécie, com suspeita de que seja fruto do crime. O montante de dinheiro apreendido ainda não foi divulgado pela SSP.

A SSP decidiu intensificar as ações de combate ao crime na região ao perceber a grande incidência de homicídios naqueles municípios, todos praticados com as mesmas características. Os policiais também receberam várias denúncias, relatando a ação de supostos traficantes na região. Os suspeitos são de naturalidade baiana e também sergipana e seriam responsáveis por crimes considerados hediondos, segundo a SSP.

 

por Cassia Santana

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais