TJ suspende decisão que afastava PMs das delegacias

0

O Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, através de decisão da desembargadora Suzana Maria Carvalho Oliveira, suspendeu a liminar concedida pelo Juiz da 12ª Vara Cível da Comarca de Aracaju, numa Ação Civil Pública proposta pela Associação Beneficente dos Servidores Militares de Sergipe. O recurso de Agravo de Instrumento foi impetrado pela Procuradoria-Geral do Estado.

A decisão do juiz determinou que Sergipe promovesse a retirada, no prazo de 180 dias, de todos os policiais militares que se encontram prestando serviços nas Delegacias de Polícia Civil do Estado, passando os mesmos a exercerem as atribuições que lhe são imputadas pelas Constituições Federal e Estadual, com lotação nos órgãos próprios da Polícia Militar.

A Procuradoria-Geral do Estado ingressou com recurso junto ao TJ/SE, requerendo a suspensão dos efeitos da liminar. De acordo com o procurador do Estado Vinícius Magno Duarte Rodrigues, o recurso fundamentou-se nos argumentos técnico-jurídicos de que a decisão não está devidamente fundamentada para a concessão de uma Tutela Antecipada, pois, estão ausentes os requisitos essenciais do risco de grave lesão ou de difícil reparação.

A PGE argüiu, também, que esta situação já persiste ao longo dos anos, podendo ser solucionada no decorrer da Ação Civil pública que tramita naquele juízo. Além disso, a decisão do Juiz causaria prejuízos à ordem e à segurança pública.

Para o desembargadora  Suzana Maria Carvalho Oliveira, não  se mostra razoável nesta decisão, com análise sumária dos fatos, determinar a remoção de todos os Militares que vem prestando serviço na Delegacias Cíveis, “pois tal medida poderá causar um colapso em todo sistema de segurança deste Estado”.

ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais