Top Correio realiza sua nona edição

0

Boneco pequeno jornaleiro
O Top Correio, evento criado pelo jornal Correio de Sergipe para premiar as marcas comerciais mais lembradas pelo aracajuano, realiza sua nona edição no dia 30 de julho. A festa acontece na Grife de Festas Alex Max e tem ainda como atração musical para os convidados um show da dupla Pedro Henrique & Gabriel.

A premiação é feita com base em pesquisa de opinião realizada em Aracaju e ao longo dos anos sofreu mudanças, com inserção ou substituição de segmentos e categorias, seguindo uma tendência do mercado consumidor. Este ano estão incluídos 12 segmentos, subdivididos em mais de 80 categorias. O segmento com mais componentes é o de Comércio Varejista, com 18 categorias, seguido pelo de Imóveis e Construções, com 16.

Criado em 2001 para homenagear o bem mais importante de uma empresa – a sua marca – o Top Correio se consolida em importância e credibilidade. “O prêmio é hoje usado como referência pelos ganhadores em muitas campanhas publicitárias, ao divulgar que sua marca é Top. E isto só é possível graças à lisura e qualidade com que é feito, chegando a um resultado totalmente confiável”, afirma o diretor presidente da Rede Jornal de Comunicação, João Alves Neto.

Pesquisa

Para se chegar às marcas mais lembradas, o Correio de Sergipe mantém contrato com a Empresa Júnior de Administração (EJA), da Universidade Federal de Sergipe (UFS), para fazer uma pesquisa quantitativa. A EJA atua há 16 anos no mercado e é composta por alunos de Administração da UFS, sob a supervisão e orientação de professores do curso.

Na pesquisa foram aplicados 1.530 questionários por toda a Aracaju, entre os meses de março e abril deste ano, distribuídos proporcionalmente à população de cada bairro. Este número corresponde a aproximadamente 0,03% da população da cidade, um índice maior do que o mínimo necessário para este tipo de pesquisa, proporcionando maior consistência ao resultado.

O Top Correio é sempre realizado sob um tema. Este ano o mote “Haja Fôlego para ser Top” veio da crise econômica mundial, e que acabou chegando ao Brasil. Afinal, é justamente na hora de maior dificuldade que é necessária resistência para ultrapassá-la, como explica o diretor geral da Rede Jornal, Alfredo Moura.

Comentários