Único brasileiro a visitar todos os países do mundo está em Aracaju

0
A façanha de Anderson pode ficar eternizada no ‘Guinness book’, o livro dos recordes (Foto: arquivo pessoal/rede social)

O recifense Anderson Dias, do IG @196sonhos, chegou nesta terça-feira, 24, em Aracaju, para passar o Natal com sua família, e já se encantou pela cidade. O jovem de 26 anos traz na bagagem um currículo inédito: primeiro e único brasileiro a visitar todos os países do mundo. A façanha de Anderson pode ficar eternizada no ‘Guinness book’, o livro dos recordes, como o ser humano a conhecer mais rápido todos os países do mundo, cerca de 193 reconhecidos pela Organização Mundial das Nações Unidas (ONU) e mais três que não são, ao longo de 543 dias de viagem.

Anderson conta que no início houve quem duvidasse dos seus planos audaciosos (Foto: arquivo pessoal/ rede social)

Anderson conta que no início houve quem duvidasse dos seus planos audaciosos. Segundo ele, é normal a incredulidade das pessoas quando ficam diante de grandes projetos. “Um projeto deste tamanho deixa as pessoas incrédulas. Não é normal que as pessoas façam grandes feitos hoje em dia”, conta. No começo da jornada, o jovem relembra alguns comentários que recebeu. “Sofri muitas críticas dizendo que não daria certo e que eu voltaria no meio do caminho”, pontua.

Em quase dois anos de viagem, Anderson diz que foi um privilégio poder conhecer a cultura de cada país. Ele afirma que ao ver de perto a realidade de muitos lugares ficou positivamente surpreso, em especial com o país iraniano. “As pessoas taxam muito o Irã como perigoso, mas na verdade não tem perigo nenhum. É um país que sofre muito com os embargos dos Estados Unidos e com o que é veiculado e disseminado pela mídia”, avalia.

No quesito alto custo, ele conta que ficou “sem acreditar” com o padrão de vida da Islândia. Anderson afirma que planejava conhecer todos os pontos turísticos do país, mas que teve que se contentar com poucos. “É um país muito caro. Eu pensei em realizar todos os passeios turísticos possíveis, mas só consegui quatro devido aos altos preços”, afirma. Em relação ao futuro, ele diz que pretende continuar a fazer roteiros inéditos. “Tenho muitos projetos vindo por aí. Por que não ser o primeiro ser humano do mundo a visitar todos os países e os polos norte e sul”?, brinca.

por João Paulo Schneider  e Verlane Estácio

Comentários