Vaticano reconhece milagre de Irmã Dulce em SE

0
O milagre foi reconhecido pelo vaticano (Foto: divulgação)

A identidade da mulher que teria recebido o milagre analisado e validado pelo Vaticano, enquanto peça fundamental do processo de beatificação de Irmã Dulce, foi divulgada na última sexta-feira, 13, durante uma coletiva de imprensa, na Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, em Salvador (BA).

Cláudia Cristiane Santos de Araújo, de 42 anos, mora na cidade de Malhador, no interior de Sergipe, e trabalha na prefeitura do município. Casada com o motorista de caminhão, Francisco Assis de Araújo, recebeu a graça no dia 10 de janeiro de 2001, enquanto apresentava um quadro de forte hemorragia não controlável ao dar à luz Gabriel, o segundo filho do casal.

A perda de sangue começou ainda no trabalho de parto e, num período de 18 horas, a parturiente passou por três cirurgias sem que o sangramento cessasse. Contudo, sem nenhuma intervenção médica, a hemorragia parou subitamente e a paciente se recuperou de forma inexplicável, do ponto de vista médico. Conforme relatos da época, o fim do sangramento ocorreu no mesmo instante em que um grupo de oração pedia a intercessão de Irmã Dulce em favor de Cláudia.

Na entrevista coletiva, o cirurgião e perito médico Sandro Cal Barral afirmou que a mulher foi examinada por mais de 10 médicos no Brasil e por seis especialistas na Itália e ninguém teve explicação científica para a recuperação da paciente.

Participaram da coletiva, o padre José Almi de Menezes, que comandou a corrente de oração pela cura da paciente; a diretora da Maternidade São José, local onde ocorreu o milagre, Irmã Augustinha Ferreira Santos; e o perito médico, Sandro Cal Barral.

As gestões oficiais para a instalação do processo de beatificação e canonização de Irmã Dulce foram iniciadas em 1999, com a concessão do 'Nihil Obstat', documento que a Santa Sé disponibiliza decretando não existir impedimento para a introdução da causa.

Em 2000, foi realizada a abertura do Processo Canônico sobre a sua vida, virtudes e fama de santidade. A graça obtida pela intercessão de Irmã Dulce, em 2003, foi examinada primeiramente no Brasil e reconhecida pelos peritos médicos como um caso que não pôde ser explicado pelos meios da ciência. Os peritos e os cardeais da Congregação para as Causas dos Santos foram unânimes no reconhecimento deste milagre, constando que se tratava de um caso extraordinário de cura.

Em abril de 2009, foram reconhecidas suas virtudes heroicas e ela foi declarada Venerável pelo Vaticano. Em junho de 2010, seu corpo foi exumado e transferido junto às suas relíquias, últimos atos antes da beatificação – que acontece no próximo dia 22, em Salvador (BA).

Fonte: Assessoria de Imprensa das Obras Sociais Irmã Dulce

Comentários