Veja 4 dicas para evitar cair em golpe de falsos leilões virtuais

0
Consumidores devem ficar atentos aos golpes praticados pela internet (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Com mais tempo em casa, muitas pessoas têm navegado de maneira mais frequente na internet e, com isso, tornando-se alvo de golpistas através de alguns crimes cibernéticos, dentre eles, os falsos leilões virtuais. Segundo a delegada diretora do Departamento de Crimes contra o Patrimônio (Depatri), Viviane Pessoa, essa modalidade de golpe vem crescendo não só em Sergipe, mas também em outros estados do Brasil.

“Infelizmente muitas pessoas são vítimas porque o golpista mexe com o desejo pessoal que está ligado a aquisição de um bem bastante almejado”, destaca. Dessa maneira, a delegada dá algumas dicas para evitar cair em golpes de falsos leilões virtuais. São elas:

1) Prestar atenção a URL do site

“Geralmente os sites falsos terminam com endereço eletrônico “.org”, o que dá margem para desconfiança porque o sites enganosos têm se apresentado como de um “Governo do Estado”, mas se assim o fosse, ele terminaria com “.br”, destaca Viviane Pessoa. Ainda segundo ela, não há uma especificação sobre qual governo seria esse e também qual secretaria estaria a frente do projeto do leilão.

2) Informações imprecisas

A delegada destaca também que é preciso atenção para a falta de transparência que há nos sites falsos. Segundo ela, muitas informações são imprecisas. “Além disso, há também alguns erros de português na grafia das palavras. É preciso ler com atenção”, pontua Pessoa.

3) Presença de um leiloeiro 

“Todo site de leilão precisa ter um leiloeiro”, alerta a delegada. Viviane explica que os sites enganosos geralmente não apresentam a figura de um leiloeiro para intermediar a aquisição do bem. “É importante que as pessoas saibam que o depósito do dinheiro deve ser depositado na conta do leiloeiro e não de terceiros”, destaca. Ainda segundo ela, em muitos casos os golpistas oferecem alguma conta pessoal.

4) Idoneidade do leiloeiro

Caso um site duvidoso chegue a fornecer o nome de alguém alegando que é o leiloeiro a delegada afirma que o consumidor pode checar a veracidade da informação através do site da Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese). “A pessoa pode entrar no site da Jucese e consultar as informações sobre o leiloeiro, a fim de comprovar se são realmente verdadeiras. Caso não conste o nome dele no registro, fica evidente que a pessoa apresentada como leiloeiro é falsa”, destaca Viviane Pessoa.

por João Paulo Schneider 

Comentários