Aperipê FM celebra 15 anos e Fundação divulga novidades

0

Diversas novidades foram apresentadas como o show do Mundo Livre S/A. (Fotos: Portal Infonet)
A Fundação Aperipê realizou uma cerimônia na manhã desta quinta-feira, 25, para anunciar uma série de novidades além da programação do show de Aniversário de 15 anos da rádio Aperipê FM 104, 9. Um novo transmissor foi entregue ampliando a cobertura da emissora Aperipê AM 630 no Estado, ele fica localizado no bairro Capucho. Além disso, dois programas devem ser produzidos no Estado para trasmissão nacional na TV Brasil. O programa “Estação da Periferia” com apresentação do raper Hot Black e o “Som Rural” que já é vinculado na estatal federal e vai ter 10 episódios gravados em Sergipe.

Para fechar com chave de ouro o aniversário da rádio será comemorado nos dias 17 e 18 de dezembro quando serão realizados shows no Parque da Sementeira. As bandas que irão tocar serão os sergipanos Café Pequeno, Lacertae, Patrícia Polaine, Cobra Verde, The Baggios, DJ Casca, Pantera e Mundo Livre S/A de Recife.

Alex Santa”Ana ficou responsável pela pré-seleção das músicas de artistas sergipanos
Além disso, um projeto em parceria com a Aperipê produziu uma coletânea musical de artistas sergipanos para ser divulgado fora do país. O produtor e músico Alex Santa’Ana realizou a pré-curadoria do artistas que integram as 19 faixas do cd.

“O projeto partiu do meu selo chamado Disco de Barro, tem alguns artistas que também trabalham no selo, outros são conhecidos, com um bom trabalho. Então a presidente da Fundação, Indira Amaral me convidou para fazer essa pré-curadoria. Eu uma seleção de mais ou menos 50 ou 60 artistas eu enviei para uma empresa de Recife que fez a curadoria. Essa empresa é quem ficou responsável pela divulgação em Copenhagem e está rodando o mundo. Gente do mundo inteiro está conhecendo essa coletânea. A primeira prensagem foram mil discos e vai haver uma outra prensagem”, comenta.

Indira Amaral disse que é necessário mais espaço para a boa música de Sergipe
A presidente da Fundação Indira Amaral, destacou a democratização da cultura. “Nossa democracia é muito recente e nós precisamos melhorar muito para tornar a democracia algo grandioso. O trabalho aqui é para dizer que nós precisamos de mais comunicação pública. Nós precisamos ter acesso ao conhecimento através uma série de instrumentos para a divulgação. Nossa música deve ter espaço para a divulgação da galera que é boa”, salienta.

Por Bruno Antunes

Matéria alterada às 16h03 do dia 26/11 para acréscimo de informações e às 13h20 do dia 27/11 para correção

Comentários