Confira entrevista com Dan Ventura, vocalista do Bonde do Maluco

0

Billy X e Dan ventura, os vocalistas do “Bonde do Maluco”
O ‘Bonde do Maluco’, banda conhecida pela música ‘Não chore’,  grava seu primeiro DVD nessa quarta e quinta, 20 e 21, em Aracaju. O primeiro dia será apenas para convidados. Os ingressos para a quinta-feira, 21, estão sendo vendidos antecipadamente na Loja Imperador pelo preço de R$ 15, na hora do show custará R$ 20. Para falar do show e do sucesso da banda, que tem apenas seis meses de estrada, o Portal Infonet conversou com Dan Ventura, vocalista e compositor do hit que foi o mais tocado no carnaval 2008.

Portal infonet – Por que gravar o DVD em Aracaju?

Dan Ventura – Sergipe foi um dos poucos Estados que nós tocamos, devido a agenda da banda. Então resolvemos lançar para o Brasil um dos estados onde nós temos um grande número de fãs. Vamos fazer o DVD aqui para mostrar que o Nordeste é rico em alegria.

Veja o convite do Bonde do Maluco para o show


 

 

Infonet – Qual novidade vocês estão trazendo para o show?

Dan – O show é completamente diferente do que as pessoas já viram, mas com as músicas que o pessoal gosta de ouvir. Tem três músicas inéditas, e no DVD essa vai ser a segunda parte do show. A primeira foi gravada durante o carnaval de Juazeiro em cima do trio elétrico. O trio arrastando com mais de 100 mil pessoas atrás, ficou muito lindo. O DVD vai ficar dividido entre Sergipe e Bahia

Dan Ventura, vocalista do Bonde
Infonet – Como vocês encaram o sucesso repentino?

Dan – A gente não encara, porque se parar pra pensar fica maluco. A gente procura fazer o que mais gosta que é música, que sempre lutamos pra chegar nesse patamar, e graças a Deus conseguimos. Eu sei que estou fazendo sucesso porque já faz um tempo que não vou pra casa. Tem show nos sete dias da semana (risos).

Infonet – Por que fazer uma versão da música Don”t Matter, do Akon?

Dan – Na verdade não foi uma versão. O Billy X chegou lá em casa com a música do Akon pra gente realmente fazer uma versão, só que eu sou muito preguiçoso aí falei: Ô Billy, eu tô com preguiça então vou tirar dessa música o que acho de melhor. Que é o ‘ô ô ô’ e o ‘nobodi wanna see me dieuou’. Eu não sei nem como falar inglês. (risos),  A parte do rap foi minha, então a música se tornou híbrida. Eu só mantive o refrão, e coloquei a pegada arrocha, que o Akon tem que rebolar muito ainda pra aprender.

Infonet – Como vocês encaram a pirataria?

Dan – É uma faca de dois gumes. Por um lado é chato porque deixamos de ganhar dinheiro pela gravação. Mas por outro tem gente que sobrevive disso, que sustenta suas famílias com isso. E pra gente é propaganda. Então a pirataria ajuda e atrapalha. Acho que se o governo botasse o disco mais barato em vez das pessoas piratearem poderiam agir em conjunto com as gravadoras, sendo revendedores. O que não dá é a população pagar R$20 por um disco.

Infonet – Fale um pouco do início de sua carreira na música.

Dan – Comecei com 16 anos, fui baixista, guitarrista, tecladista, e trabalhei em estúdio. A minha primeira banda como vocal foi a ‘Novo Tom’, que estourou com a música ‘Tapinha na Bundinha’ e ‘Chora guitarra que eu quero arrochar’, que são composições minhas. Depois fiz a banda ‘Toque novo’, da qual era diretor, quando compus o ‘Piriripompom’. Foi nessa época que eu conheci e dei o nome da ‘Ninjas do Arrocha’, banda daqui de Sergipe. Depois disso comecei a cantar na ‘Tom a mais’ que virou ‘Bonde do Maluco’ com a chegada do Billy X.

Infonet – Como foi a gravação do primeiro CD?

Dan – O produtor da nossa gravadora me apresentou ao Billy X (o outro vocalista da banda) há seis meses e nós ficamos num estúdio uma semana. Foi o tempo de compor todas as músicas e gravar o CD.

Por Ben-Hur Correia e Carla Sousa

Comentários