Cordeiros e seguranças protegem foliões

0

Assegurar a comodidade de quem está brincando dentro do bloco ou comemorando nos camarotes não é uma tarefa fácil. São cerca dois a quatro vigias por entrada de camarote e por entrada ou saída do Planetaju, e 200 cordeiros por bloco.

Cordeiros também trabalham duro

Todos eles foram classificados junto a Associação Sergipana de Blocos e Trios – ASBT – para prestar serviços dessa categoria. E é uma tarefa árdua, tendo em vista os vários problemas que podem acontecer durante a festa, dentre os quais se destacam o empurra-empurra e as brigas, que estes profissionais enfrentam nos quatro dias de festa.

O segurança de camarote Ivan Santos diz que o trabalho é um pouco estressante. “Não dá muito para se divertir porque é muito trabalho, o tempo todo”, complementa. Ele afirma que a maior dificuldade é fazer esse controle de entrada e saída.

“Sempre tem gente que abusa, que quer entrar a todo custo. Outra hora chata é quando uma só pessoa está autorizada a entrar e leva com ela mais cinco não autorizadas. Barrar é sempre trabalhoso. Fica difícil também quando os blocos estão passando, pois fica um empurra-empurra bravo”, admite o segurança.
 
 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais